Reunião do conselho da OAB SP é marcada por emoção


27/04/2015

Reunião do conselho da OAB SP é marcada por emoções 2
Fábio Canton, emocionado, informou aos conselheiros que Mateucci será homenageado com o prêmio Franz de Castro Holzwarth, em prol da sociedade

Na manhã desta segunda-feira (27/04), a reunião do Conselho da OAB SP foi marcada por homenagens e palavras de breve recuperação direcionadas ao presidente Marcos da Costa, que se restabelece do acidente ocorrido no último dia 18 de abril. “Nosso presidente está recebendo todos os cuidados necessários para que seu restabelecimento seja o mais pronto possível”, disse Ivette Senise Ferreira, presidente interina da Secional paulista, que deverá ocupar o cargo nos próximos 30 dias.

Após a abertura, os participantes fizeram um minuto de silêncio em respeito ao diretor tesoureiro da Ordem, Carlos Roberto Fornes Mateucci, vitimado em acidente automobilístico que também deixou ferido o presidente Marcos da Costa. A diretoria informou que será realizada uma sessão especial de homenagem a Mateucci. Segundo Ivette Senise, os detalhes serão anunciados em breve, após consulta feita aos familiares, que participarão do evento.

Mesmo com o anúncio, os dirigentes da OAB SP reservaram o início da manhã para uma breve homenagem antecipada. O primeiro a dizer algumas palavras foi o secretário-geral, Caio Augusto dos Santos Silva. “No dia 18 faleceu Carlos Roberto Fornes Mateucci, amigo, pai, marido, gestor de ordem, integrante de importantes instituições e praticante de inúmeras atividades sociais, além de liderança reconhecida de todos”, disse Caio. “Há quem tem coragem de travestir-se de bom moço para servir-se dos outros e não para servir aos outros. Esse não era e nunca foi o amigo Mateucci. Ele era um gestor zeloso e comprometido, que procurou ajudar na construção de uma OAB cada vez mais presente e que retribui ao advogado e à sociedade”, continuou.

Na sequência, o presidente da Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo (CAASP), Fábio Canton, visivelmente emocionado, afirmou ser Mateucci uma pessoa insubstituível. “Fica a dor da perda, mas também o grande exemplo de vida que ele deu a todos nós”, afirmou. “Advogado brilhante, muito bem sucedido profissionalmente, ele trabalhou em prol do bem comum, da nossa profissão e da sociedade”. Na ocasião, contou aos presentes que será concedido a Mateucci, de forma especial e extraordinária, o prêmio Franz de Castro Holzwarth, por conta das atividades que desenvolveu na entidade e em prol da sociedade. A notícia lhe foi dada, por telefone, por Martim Sampaio, diretor da Comissão de Direitos Humanos, enquanto ele participava de evento no Pará sobre Direitos Humanos representando a OAB SP.

José Horácio Halfeld, presidente do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP), também falou: “Mateucci tinha aquele brilho no olhar e o sorriso de quem sabia o que estava fazendo. Sendo assim, construiu uma brilhante carreira, era um líder ético e competente para a advocacia”.

A homenagem foi encerrada pelo diretor de Relações Institucionais da OAB SP, Luiz Flávio Borges D’Urso, que discursou em nome dos ex-presidentes da OAB SP. O advogado ressaltou que, além da tragédia, também houve um milagre. “Naquela tarde, nós poderíamos ter nos afastado de dois grandes companheiros. Mas quis o Criador que Mateucci fosse para junto Dele e que Marcos da Costa continuasse entre nós”, enfatizou D’Urso. “Eu acho que a maior homenagem que podemos prestar a todos aqueles companheiros que tombaram durante a nossa trajetória, como o Mateucci, é lembrarmos e falarmos deles. É fazer com que seu exemplo esteja entre nós”, disse.

Referindo-se à OAB SP como uma grande família, D’Urso pediu boas vibrações ao presidente Marcos da Costa. “Ao nosso presidente, ao nosso companheiro que permanece aqui para ser a nossa liderança, a ele enviamos vibrações positivas e direcionamos nossas orações”, disse o ex-presidente da Secional. Ele encerrou a homenagem pedindo que todos os presentes dessem as mãos em uma corrente de energia positiva.

Reunião do conselho da OAB SP é marcada por emoções 3
O diretor de Relações Institucionais da OAB SP pediu uma corrente de vibrações positivas pela recuperação do Dr. Marcos da Costa e todos os conselheiros acataram e deram-se as mãos

Em seguida, os conselheiros aprovaram, por aclamação, José Maria Dias Neto para a tesouraria, posição que era ocupada por Mateucci. O advogado é conselheiro e presidente do Tribunal de Ética e Disciplina da Secional. Entre outras funções, já ocupou o cargo de diretor tesoureiro na gestão anterior à de Marcos da Costa. Com a nomeação de Dias Neto, Fernando de Salles Freire foi escolhido para ocupar seu lugar na presidência do Tribunal de Ética. Freire também é conselheiro, membro do Tribunal de Ética da Ordem e, entre outras atividades, membro efetivo das Comissões de Orçamento e Contas e Direito Empresarial do Trabalho.


Íntegra do discurso do secretário-geral da OAB SP


O primeiro a fazer discurso em homenagem a Carlos Roberto Fornes Mateucci foi Caio Augusto dos Santos Silva, secretário-geral da Secional paulista da Ordem. Leia a íntegra abaixo:

"Senhoras e senhores,

Conta a lenda que um garoto postou-se à frente da vitrine de uma loja de presentes e, meio sem jeito de nela entrar, somente a adentrou após ser indagado pelo seu proprietário sobre o que ali fazia tão compenetrado.

Respondendo àquela indagação, o menino perguntou ao homem quanto custava um lindo colar que lá se encontrava exposto, uma vez que sua intenção era dá-lo de presente a sua mãe que, mesmo doente e sozinha, de tudo fazia para que nada lhe faltasse.

Surpreso e um pouco comovido com a situação, o proprietário da loja disse ao menino que dificilmente seria possível a compra do colar porque era uma joia muito cara.

Sem hesitar, o garoto tirou de dentro de uma pequena sacola que trazia consigo, uma caixinha onde se encontravam algumas poucas moedas que disse corresponder a tudo o que ele conseguira guardar em seus poucos anos de vida.

Efetivamente comovido com o gesto do menino, o proprietário da loja de presentes aceitou as moedas em pagamento do colar, entregando-o em um viçoso embrulho para que o presente pudesse ser dado à mãe do garoto.

Ao final do dia, o proprietário da loja recebeu a mãe do menino que pretendia devolver-lhe o colar, porque sendo a joia verdadeira não era possível que seu filho a tivesse adquirido por algumas poucas moedas, quando, sem aceitá-lo de volta, o mencionado proprietário disse que o garoto havia pago o preço mais alto que qualquer pessoa podia pagar: dar tudo o que se tem!

Pois bem.

No último dia 18, faleceu Carlos Roberto Fornes Mateucci, amigo, pai, marido, gestor de Ordem, integrante de importantes instituições, praticante de inúmeras atividades sociais e liderança reconhecida de todos, deixando-nos - a nós, à sua família e aos que com ele aprendiam e sempre podiam contar - profundamente acometidos de dois inevitáveis sentimentos: tristeza e saudade!

O que dizer do ocorrido senão fatalidade! O que falar de Mateucci senão o lamento da sua perda precoce! O que pensar do fato senão a incompreensão de tamanha brutalidade do destino! 

Sem tirar-nos o direito da dor do luto pela morte do amigo querido, temos a obrigação de lembrar a vida do amigo Mateucci para com ela aprender um pouco sobre o que é ser bom:

a) Pai e marido exemplar para sua esposa Ana Carolina e seus filhos Maria Gabriela e Thiago, sempre soube viver com sua família os anos e momentos pelos quais passaram juntos;

b) Amigo alegre e autêntico que foi nunca sonegou o que pensava aos que lhe eram próximos, mesmo que isso implicasse em má compreensão do seu modo simples, correto e eficaz de ver as coisas;

c) Gestor de Ordem zeloso e comprometido procurou ajudar na construção de uma OAB cada vez mais presente e retributiva na vida do Advogado e da sociedade;

d) Cidadão cônscio da sua responsabilidade social procurou auxiliar os menos favorecidos;

e) Liderança na vanguarda do seu tempo sempre enfrentou tudo e a todos para a correção dos desvios de conduta que combatia.

Mateucci era tão ético que sua conduta rendeu-lhe o inegável ônus da Presidência do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB SP, e tão competente que sua forma corajosa de enfrentar quaisquer desafios franqueou-lhe os indiscutíveis encargos da tesouraria da OAB SP e da Presidência do Centro de Estudos de Sociedades de Advogados, funções difíceis e pesarosas essas que ele tinha como verdadeiras honrarias.

Há quem tem coragem de travestir-se de bom moço para servir-se dos outros e não para servir aos outros. Esse não era e nunca foi o amigo Mateucci.

Carlos Roberto Fornes Mateucci - que se tornou diretor da OAB SP porque assim podia ser e não por conta de egoística vontade sua ou em razão de incentivo impróprio de quem quer que seja -, foi homem que soube conduzir a sua vida com retidão sem precisar propagar dificuldades para mediante a apresentação de facilidades ser reconhecido, pois alcançou o seu espaço pela via do seu próprio trabalho e da sua forma de viver.

Quando à estória - a do garoto que deu tudo o que tinha -, certamente ela se encaixa muito bem na vida de Mateucci que sem hesitar soube dar tudo o que tinha em favor dos seus familiares, amigos, companheiros de Ordem e semelhantes, o que seguramente lhe permitiu ter uma vida cheia de recompensas materializadas no reflexo da felicidade de fazer bem aos outros na medida do merecimento e da necessidade de cada um, sem condicionamentos ou tampouco a exigência de quaisquer palmas.

Entristecidos e saudosos com a perda do amigo querido, fica aqui a modesta homenagem de todos nós à vida intensamente vivida por Carlos Roberto Fornes Mateucci  com os seus.

Viva Carlos Roberto Fornes Mateucci , agradecidos que somos pela oportunidade de ter podido com ele conviver!"

São Paulo, 27 de abril de 2015

Caio Augusto Silva dos Santos
Secretário Geral da OAB SP