A Secional paulista da Ordem recebe advogados do Reino Unido


18/05/2015

A Secional paulista da Ordem recebe advogados do Reino Unido
Advogados do Reino Unido fazem visita à Casa da Memória, no hall do prédio da Nova Sede da OAB SP

Com uma programação que foi desde a apresentação do organograma da entidade de classe até visitas a algumas Comissões permanentes, a OAB SP recebeu cinco advogados do Reino Unido que fazem parte de intercâmbio firmado com The BAR Council of England and Wales. O grupo foi recebido pela presidente em exercício, Ivette Senise Ferreira, e pelo presidente da Comissão de Relações Internacionais, George Augusto Niaradi, que ressaltaram a importância da troca de experiências entre advogados de diferentes países e continentes, especialmente quando há diferenças nos sistemas jurídicos: o Reino Unido adota o commom law (direito comum), enquanto o Brasil segue o sistema romano-germânico, o mais disseminado no mundo.

O programa da visita incluiu o diálogo com presidentes e membros das Comissões de Direitos Humanos, Direitos e Prerrogativas e Sociedades de Advogados, além de conhecer as instalações da Escola Superior da Advocacia (ESA OAB SP). Eles também ouviram palestra de Antonio Carlos Rodrigues do Amaral, conselheiro secional e presidente da Comissão de Direito Internacional, e de Horácio Bernardes Neto, conselheiro secional e membro da Diretoria da IBA- International Bar Association.

A Secional paulista da Ordem recebe advogados do Reino Unido 2
Tallulah Kobayashi, diretora da Mulher Advogada, e a presidente em exercício, Ivette Senise, conversam com os advogados que participam do intercâmbio firmado com o BAR Council of England and Wales

Os jovens manifestaram interesse por pontos específicos do Direito no Brasil, como no caso de Duncan Grieve, que afirmou haver pontos comuns entre a legislação similar britânica e a Lei Anticorrupção recentemente regulamentada no Brasil. A advogada Rachel Tandy expôs um paradoxo interessante quando falou de arbitragem, seu ponto de interesse, afirmando que vai tentar compreender com mais clareza por que, no Brasil, ainda há pouco espaço para esta alternativa extrajudicial de solução de conflitos. Preliminarmente ela entende que há o entendimento de que o custo é alto, especialmente em pequenas corporações, o que interpreta como uma percepção equivocada.

O Protocolo de intenções assinado pelas duas entidades de classe prevê a cooperação “no sentido de intensificar a interlocução com a sociedade civil e órgãos governamentais com o fim de promover o debate sobre a corrupção, tornando viável a execução de medidas práticas que visem reprimir as mais diversas formas de corrupção.”

Após a passagem por São Paulo, o grupo de advogados seguiu para Brasília. Também participam deste ciclo do intercâmbio OAB - BAR Council of England and Wales as advogadas Carolina Marin Pedreño, Charlotte Tregunna e Helen Nugent.