Somos todos uma só OAB - Advocacia nacional abraça Marcos da Costa


23/08/2015

encontro__marcos_costa.jpg
Presidentes das secionais reunidos com Marcos da Costa em seu gabinete, na sede da Secional Paulista

Não durou uma hora o encontro para um abraço solidário da advocacia nacional ao dirigente paulista Marcos da Costa, na sede da OAB SP. A homenagem foi singela, mas repleta de genuína emoção entre os pares. Todos, advogados que dedicam parte do tempo da atividade profissional trabalhando pelas causas institucionais da classe, ficaram sensibilizados com o grave acidente sofrido por Costa em abril deste ano, no qual morreu o diretor tesoureiro da OAB SP, Carlos Mateucci. No Colégio de Presidentes no Conselho Federal, eles convivem com frequência na luta pelos interesses dos advogados e, principalmente, na pauta que abrange a intransigente defesa do Estado Democrático de Direito. Essa proximidade provocou “o abraço institucional” dado hoje (21/08) e capitaneado pelo presidente da OAB Nacional, Marcus Vinicius Furtado Coêlho.

“É um abraço da advocacia brasileira a um líder que, momentaneamente afastado da trincheira da cidadania que é a OAB, está de volta com toda força e tem o apoio de todos os presidentes das secionais aqui representados, para demonstrar a felicidade de tê-lo entre nós, já que é um milagre, uma oportunidade que Deus lhe deu, e que, com certeza na OAB vai poder multiplicar esse seu caráter positivo e ético que tem”, resumiu o espírito do encontro, Valdetário Andrade Monteiro, presidente da Secional do Ceará e coordenador do Colégio de Presidentes no Conselho Federal.

Um ato merecido para se reunirem na sede da Ordem em São Paulo vindos dos quatro cantos do país, porque, como pontuou Marcus Vinicius Furtado Coêlho, a união entre eles é real: “Primeiro, sem dúvida, é a motivação institucional. Marcos da Costa é um exemplo para toda a advocacia brasileira de dedicação, de liderança e de inteligência. Um presidente do diálogo, que contribui de forma decisiva para as grandes vitórias da classe, obtidas nesses últimos três anos, quando passou a integrar o colégio de presidentes de forma afável. Mesmo sendo presidente da maior Secional em número de inscritos, participa do Colégio de presidentes num plano horizontal, sem qualquer olhar de verticalidade. Isso, por si só, já demonstra sua compreensão e seu caráter”.


A construção do que chamou de “uma só OAB”, na qual Marcos da Costa tem papel relevante, foi outro aspecto ressaltado pelo presidente nacional durante o encontro informal na sala da presidência, antes ainda do Encontro de Secionais no plenário da OAB SP: “Quero destacar que o Colégio de Presidentes tem sido muito parceiro da OAB Federal nos momentos decisivos, fazendo notas conjuntas no plano nacional. Quando é uma questão que o presidente estadual necessita, o Colégio de Presidentes dá nota de apoio, mas quando o presidente prefere atuar isoladamente é respeitado. Desse modo, temos construído essa relação harmoniosa e que tem sido muito frutífera. Nesse sentido, Marcos da Costa é decisivo”.

Aliás, o espírito de pertencimento à instituição que representam é, por si só, um ato que une os que integram a Ordem na interpretação de Pedro Henrique Braga Reynaldo Alves, presidente da Secional de Pernambuco: “De tudo que Marcus Vinicius e Valdetário falaram, queria enfatizar só um aspecto: ainda que você - Marcos da Costa - não fosse um dos presidentes mais afáveis, mais amáveis, mais agradáveis, ainda que eu tivesse uma antipatia pessoal, eu estaria aqui do mesmo jeito lhe dando um abraço, porque você está mostrando um exemplo de superação e de compromisso com a OAB, uma vez que a Ordem é feita de muita doação e doações têm limites. O que você passou, e que todos nós fomos muito solidários a isso, teve justificativa mais do que razoável de cessar a doação, dada a grande contribuição que você já deu não só à Advocacia paulista, mas à nacional. Seria mais do que justificável já ter dado por conta e passado o bastão e você mostrou compromisso. Pelo seu exemplo de dedicação com a classe dos advogados, Marcos, receba um abraço especial”.

Juntos em torno da cadeira de Marcos da Costa, os 11 presidentes de Secionais, assim como o vice-presidente do Conselho Federal, Claudio Lamachia, e mais os conselheiros federais por São Paulo, Márcio Kayatt e Aloísio Lacerda Medeiros, falaram das qualidades de Marcos da Costa à frente da OAB SP e do espírito de superação que o moveu depois do trágico acidente numa demonstração de afetividade coletiva.

rubens_approbato.jpg
Marcos da Costa entre o presidente emérito da Seccional paulista, Rubens Aprobatto, e o presidente do Conselho Federal, Marcus Vinicius Furtado Coêlho


Esse clima de legítimo companheirismo foi celebrado pelo presidente emérito da Secional paulista, Rubens Aprobatto Machado, presente à homenagem: “É uma surpresa agradabilíssima encontrar esse Conselho de Presidentes, que me trouxe a lembrança daquele Conselho de Presidentes de que participei e que também foi um conselho exemplar e que tinha isso que vocês têm, vocês se sentem mesmo nas divergências, pois estas servem para aclarar e não para criar problema. Eu fico realmente felicíssimo em ver isso”. Para o decano dos advogados presentes, Approbato é uma importante referência por dizer coisas como, mais uma vez falou entre os seus: “A verdade é que nós advogados temos esses sentimentos: quando nós cuidamos, não cuidamos fisicamente do ser humano como o médico, mas nós cuidamos da alma das pessoas, e para isso nós nos tornamos figuras diferentes também. O nosso sentimento é diferente, não é só o de melhorar esse país que passa por tantos problemas, mas é muito mais que isso, é nos unirmos mesmo. Me parece que a Ordem dos Advogados é um símbolo deste país, é a maior entidade que com todos os problemas que ela possa ter, ela ainda é a maior entidade desse país”.

Acolhido por todos, Marcos da Costa foi despojado ao relatar, com voz levemente alterada pela emoção, que, embora possa parecer estranho, “me sinto hoje muito mais feliz do que eu era antes do acidente. Tenho uma tristeza profunda de ter perdido o meu amigo, irmão e companheiro, o Mateucci. Fiquei este tempo todo no hospital muito triste, porque não pude me despedir deste meu amigo, mas quando saí tive a oportunidade de encontrar a esposa dele e transmitir isto a ela”.

Desde que reassumiu a presidência, Marcos da Costa tem dito que o carinho de sua família, as orações e o apoio que recebeu de todos os que o cercam proximamente ou a distância foram essenciais em sua recuperação. Mas também reconheceu que participar da vida da Ordem é um fator motivador para a sua vida: “Eu convivi um pouco com o Colégio de Presidentes na época do Rubens Approbato, ele me convidava para alguns eventos, e eu vi a força daquele Colégio. Mas eu vejo uma diferença no atual, que é não só a força institucional, mas a força da fraternidade. Este Colégio de Presidentes é diferenciado, mesmo. A gente convive como irmãos, como iguais, como advogados que trocam experiências diariamente sobre as dificuldades que a vida nos apresenta como dirigentes de Ordem”.

A parceria, o compartilhamento de ideais e o senso de contribuição para com uma sociedade melhor, não há dúvidas são inspiradores para os profissionais que elegeram a Advocacia como caminho. Uma profissão que, como diz Rubens Approbato, cuida da alma das pessoas e sabe ser solidária nos momentos mais difíceis.

A homenagem contou com a presença presidente do Conselho Federal da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho; do vice-presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia; do presidente emérito da Secional paulista, Rubens Aprobatto; dos presidentes secionais Alberto Simonetti Cabral Neto (AM), Valdetário Andrade Monteiro (CE), Ibaneis Rocha Barros (DF), Mário de Andrade Macieira (MA), Luis Claudio da Silva Chaves (MG), Júlio Cesar Souza Rodrigues (MS), Pedro Henrique Braga Reynaldo Alves (PE), Sérgio Eduardo da Costa Freire (RN), Andrey Cavalcante de Carvalho (RO) e Carlos Augusto Monteiro Nascimento (SE), além dos conselheiros federais, Márcio Kayatt e Aloísio Lacerda Medeiros.