Admiração pauta lançamento de livro em homenagem a Ivette Senise Ferreira


17/11/2015

Admiração pauta lançamento de livro em homenagem a Ivette Senise Ferreira
Ivette Senise Ferreira, vice-presidente da OAB SP, fala no lancamento do livro organizado em sua homenagem pelos professores Renato de Mello Jorge Silveira e Mariângela Gama de Magalhães Gomes, no Salão Nobre da Faculdade de Direito da USP

Mais do que respeito e reconhecimento, a admiração de alunos, professores, juristas e amigos deu o tom aos discursos e cumprimentos à professora Ivette Senise Ferreira, na noite do dia 12 de novembro. A data foi marcada pela sessão de autógrafos do livro “Memórias em homenagem a Ivette Senise Ferreira”, no Salão Nobre da Faculdade de Direito da USP. É uma obra que relata a trajetória da mestra que dedicou 45 anos à instituição. Por meio de 35 artigos escritos por diversos autores, em 500 páginas da publicação, aborda temas que ela sempre defendeu, em especial os relacionados ao Direito Penal, sua área de excelência.

Docente, advogada, dirigente em diversas entidades da advocacia, entre as quais a Seção São Paulo da Ordem, onde ocupa a vice-presidência, foi a primeira mulher a dirigir a Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo e é onde espelha seu segundo lar. “Aqui, se transformou, há muito tempo, no meu novo lar. Eu costumava dizer a meus amigos que passava mais tempo nesta casa do que na minha própria residência.”

O prefácio, sob a responsabilidade dos professores Mariângela Gama de Magalhães Gomes e Renato de Mello Jorge Silveira, atual vice-diretor da Faculdade, destaca que dentre seus alunos encontram-se a mais fina e elegante safra de juristas. Não por menos, o Salão Nobre foi tomado por nomes reconhecidos na área jurídica.

A firmeza com a qual conduzia suas aulas também é tema da história contada. O tradicional bater do anel na mesa para que os jovens – ainda dispersos alunos – prestassem atenção em seus ensinamentos ficou registrado como uma de suas marcas. “Isso, sem levantar o tom de voz em momento algum”, lembrou Mariângela.

Coube ao professor Alamiro Velludo Salvador Netto, presidente da Comissão de Direito Penal da OAB SP, falar em nome dos estudantes, durante a cerimônia do lançamento do livro da editora LiberArs. Pautou seu discurso não somente na professora Ivette, mas na contribuição dela para toda a sociedade. Entre os quais noa temas como aborto, que, aliás, está sempre presente nas discussões politicas-jurídicas-sociais.

Nas suas diversas teses, o aborto legal, defendido pela professora em 1981, prima pela contemporaneidade, neste momento em que a Câmara dos Deputados discute a questão. “É fundamental saber que o debate político tenha na obra da professora Ivette dos anos 80 para pautar as soluções legislativas brasileiras”, enfatizou Salvador Netto. “Mais do que seu aluno, sou um admirador”, adicionou.

A dirigente

Admiração pauta lançamento de livro em homenagem a Ivette Senise Ferreira 2
Ivette Senise recebe flores durante o evento

Entre os destaques ao longo da carreira da dirigente Ivette Senise ficaram marcados os anos de 2010, quando foi eleita presidente do Instituto dos Advogados do Brasil, e 2015, em que assumiu interinamente a presidência da OAB SP, em decorrência do acidente do presidente Marcos da Costa. Porém, o ano de 2004, quando assumiu a Comissão de Exame de Ordem da Secional paulista da Ordem, teve significativa relevância. De acordo com Salvador Netto, havia naquele momento um grande debate de que a nova gestão poderia por em xeque a eficiência de Exame: “Ela assumiu o desafio e tivemos o maior número de reprovações no Exame de Ordem, o que se significou prezar pela qualidade do advogado, quando todos diziam que a OAB facilitaria a entrada dos bacharéis sem qualidade para exercer a profissão”.

Quanto à homenagem, a catanduvense Ivette destacou a emoção e surpresa em ver o livro publicado. Confessou ter conhecimento da cerimônia, uma vez que teria de estar presente, mas que ainda não tinha conhecimento do conteúdo da obra, muito bem “escondida para que não soubesse o que ali estava escrito”. “Vejo reunidos nesta noite colegas de ontem e de hoje, verdadeiros amigos, porque aqui estão”, acentuou, ao lembrar do início de sua carreira jurídica, na mesma Faculdade do Largo de São Francisco, em 1958. “Daqui nunca mais arredei o pé, até a expulsão”, aos 70 anos teve de se aposentar, “mas sempre estarei presente, até o último dia, para contribuir no que for possível”, finalizou.

Pela OAB SP, compareceram as diretoras Clemencia Beatriz Wolthers e Tallulah Kobayashi de Andrade Carvalho, além de vários conselheiros. Pela CAASP, o presidente Fábio Romeu Canton Filho e o secretário-geral Rodrigo Lyra. Ainda entre os presentes, o diretor da Faculdade de Direito da USP, José Rogério Cruz e Tucci, professores, advogados e demais representantes da advocacia.