Jornal O Estado de S. Paulo publica que auditoria indica gratificações irregulares realizadas pela Defensoria Pública


12/01/2016

Uma auditoria feita pelo Ministério Público de Contas apontou que cerca de 700 dos 719 defensores paulistas estão recebendo gratificações irregulares por considerarem atividades próprias da carreira uma “dificuldade da função”.Segundo a investigação, a Defensoria Pública de São Paulo pagou cerca de R$ 2,3 milhões a mais aos seus funcionários por eles terem atendido o público, visitado presídios e atuado como curadores especiais. Todas essas atribuições são institucionais e estão previstas na lei que rege a carreira de defensor.  

Leia a íntegra: http://m.politica.estadao.com.br/noticias/geral,defensoria-publica-de-sao-paulo-fez-pagamentos-ilegais--diz-auditoria,10000006826