Luiz Gama recebe, in memoriam, 32º Prêmio Franz de Castro Holzwarth de Direitos Humanos em 11 de maio


02/05/2016

OAB confere título de advogado a Luiz Gama

Em reconhecimento à dedicação na defesa dos negros que buscavam a liberdade, a Seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil entrega, in memoriam, ao advogado Luiz Gama o XXXII Prêmio Franz de Castro Holzwarth de Direitos Humanos, em 11 de maio (quarta-feira), às 19h00, no 3º andar da sede da Secional, localizada na Rua Maria Paula, 35. 

O presidente da OAB SP, Marcos da Costa, destaca que Gama sempre demonstrou os valores e ideais dos Direitos Humanos, e o prêmio reforça a importância de seu trabalho. “Luiz Gama, mesmo reconhecido advogado mais de um século depois da sua morte, tinha esse compromisso, o que o torna merecedor da homenagem”, pontua. 

Luiz Gonzaga Pinto da Gama (1830-1882) era negro, filho de um português com uma escrava liberta, e foi vendido pelo pai quando tinha apenas dez anos. Depois de conseguir a própria liberdade, tornou-se um abolicionista. Como rábula – profissional que obtinha autorização para exercer o direito sem possuir formação na área – conseguiu alforriar, pela via judicial, centenas de escravos. A OAB reconheceu a atuação de Gama como advogado e entregou no dia 03 de novembro de 2015 o título póstumo de profissional da advocacia ao seu tataraneto, Benemar França.

De acordo com o coordenador de Direitos Humanos da OAB SP, Martim de Almeida Sampaio, Gama é uma referência. “Até hoje os negros sofrem as chagas da escravidão, mal que Gama combatia já no século XIX”, recorda.

Além do vencedor, receberão menção honrosa os advogados Mário Sérgio Duarte Garcia, ex-presidente do Conselho Federal da OAB e da Secional paulista, e Arnoldo Wald, professor na área de Direitos Humanos.

Franz de Castro Holzwarth
O Prêmio Franz de Castro Holzwarth de Direitos Humanos faz uma homenagem ao advogado que teve destacada carreira em defesa destes valores. A sua morte precoce, aos 39 anos, ocorreu durante atuação numa rebelião na delegacia de Jacareí (SP). Holzwarth  foi chamado para servir de mediador durante a revolta e tornou-se refém dos amotinados. Ele foi levado pelos presos na tentativa de fuga que acabou com o carro metralhado e a morte de todos os ocupantes. O caso chocou a região do Vale do Paraíba e repercutiu em todo o Brasil. 

Serviço
Evento: “Entrega do XXXII Prêmio Franz de Castro Holzwarth de Direitos Humanos”
Data: 11/05 - 19h00
Local: Sede da OAB SP - 3º andar - Rua Maria Paula, 35