Defesa das prerrogativas e violência contra a mulher são os assuntos discutidos nas entregas de carteiras


03/06/2016

Defesa das prerrogativas e violência contra a mulher são os assuntos discutidos nas entregas de carteiras da Ordem
Marcos da Costa, presidente da OAB SP, ao lado de Fábio Romeu Canton Filho, vice-presidente da entidade, durante a última cerimônia de entrega de carteiras do dia

O plenário dos Conselheiros, na sede da Secional paulista da Ordem, recebeu nesta quarta e quinta-feira (01 e 02/06) cinco entregas de carteiras para novos advogados. Prestaram o juramento 253 novos advogados que deixaram as dependências da Ordem com seus documentos funcionais.

O presidente da OAB SP, Marcos da Costa, esteve presente em duas solenidades de entrega de carteiras (01/06) e destacou a importância dos novos advogados defenderem as prerrogativas profissionais, e frisou que observar os direitos e deveres é quesito fundamental para defender a advocacia e realizar um bom trabalho para a manutenção do Estado Democrático de Direito: “As nossas prerrogativas são as armas que o legislador nos concedeu para que exerçamos a nossa missão, não há como desempenhar a advocacia em um ambiente em que não se respeite esse direito”. Marcos da Costa aconselhou ainda aos novos advogados a não abandonarem os estudos: “Alguns pensam que ao final da faculdade já aprenderam tudo sobre o Direito e, na verdade, a faculdade nos ensina a estudar, o estudo começa agora”. Para finalizar, Costa lembrou que a advocacia deve ser vivia como um agente de transformação social.

O vice-presidente da Comissão de Seleção e Inscrição, Frederico Crissiúma de Figueiredo, representou a presidência da OAB SP na segunda entrega do dia. Crissiúma começou seu discurso destacando o importante papel desenvolvido pelas Comissões da OAB SP e fez um convite especial para os novos advogados conhecerem a Comissão do Jovem Advogado que tem por finalidade prestar auxílio aos recém-inscritos. “A Comissão do Jovem Advogado tem o papel de auxiliá-los nesse início de carreira, não apenas com palestras, mas também com a administração do escritório e como fazer o networking para angariar clientes”. O vice-presidente destacou ainda a importância da Comissão de Prerrogativas que não mede esforços para garantir que sejam respeitados o trabalho do advogado e o efetivo exercício da profissão, que é essencial para a administração da Justiça.

Na última entrega do dia, o vice-presidente da OAB SP, Fábio Romeu Canton Filho, lembrou aos presentes a importância da Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo (CAASP), o braço assistencial da Ordem. Canton enumerou aos presentes os serviços que a Caixa disponibiliza, como a farmácia e a livraria, que estão disponíveis em todo o Estado e que todos os recursos que viabilizam essa assistência são originários da anuidade: “20% da anuidade, que é paga por vocês, vão para a CAASP e voltam na forma de benefícios. Com o tempo, vocês vão descobrir que a anuidade é um grande investimento”.

Violência contra a mulher

Defesa das prerrogativas e violência contra a mulher são os assuntos discutidos nas entregas de carteiras da Ordem
Vitoria Solon, nova advogada, lê o juramento durante cerimônia de entrega de carteira. Na mesa, a partir da esquerda: Lidiane Duca Silva, vice-presidente da comissão do Jovem Advogado; Fernando Castelo Branco, presidente da Comissão de Seleção e Inscrição; Gisele Fleury Charmillot, secretária adjunta da OAB SP; Jose Thales Solon de Mello, advogado e Marlise de Biasi Scretas, integrante da Comissão da Mulher Advogada

No segundo dia (02/06), na entrega da manhã, o diretor-tesoureiro Ricardo Luiz de Toledo Santos Filho representou a presidência da OAB SP na solenidade. Toledo iniciou a sua fala destacando a importância das mulheres nas diversas áreas da sociedade e que elas vêm cada vez mais ocupando espaços merecidos, mas ressaltou que a participação delas na OAB SP ainda é muito tímida e aproveitou o momento para convidá-las a participarem da Comissão da Mulher Advogada. Ricardo Toledo mostrou sua indignação com a violência sexual cometida contra a adolescente, no Rio de Janeiro: “É preciso dar um basta nesse tipo de violência e nós da Ordem dos Advogados do Brasil precisamos unir esforços e forças para debater ideias e apresentar propostas para que esse mal seja combatido. Um Estado Democrático de Direito não pode permitir conviver com esse tipo de agressão”.

Em seguida, na última entrega do dia, a secretária-geral adjunta, Gisele Fleury Charmillot Germano de Lemos, lamentou a violência sexual sofrida pela jovem estudante de Direito em São José dos Campos: “Um problema que assola a nossa sociedade, que assusta e apavora as mulheres”. Para Gisele Fleury, é fundamental que o meio jurídico esteja preparado para acolher essas mulheres vítimas de abusos sexuais e também atender ao agressor: “Porque muitos desses homens que praticam esses atos não tiveram educação suficiente ou sofreram agressão, e por isso perpetuam essa prática tão odiosa em nossa sociedade”.

Compuseram as mesas-diretoras das cerimônias: João Camilo Nogueira, advogado; Cristiane Garrido, integrante da comissão do Jovem Advogado; Fernanda de Almeida Carneiro, assessora da Comissão de Seleção e Inscrição; Nilo Sergio, integrante da comissão de ação social; Gilberto Marques Bruno, integrante da Coordenadoria de Ação social; Maria Lucia Pizzotti, desembargadora; Ana Maria Lanatovitz, integrante da Comissão da Mulher Advogada; Lidiane Duca Silva, integrante da comissão do Jovem Advogado; Fabiana Magalhães Pinto, integrante da Comissão da Mulher Advogada; Marcos Valério Teixeira, advogado; José Thales Solon de Mello, advogado; Marlise de Biasi Scretas, integrante da Comissão da Mulher Advogada; Lidiane Duca Silva, vice-presidente da Comissão do Jovem Advogado; Ricardo Hasson Sayeg, advogado, e Marcos Vichiesi, membro da Comissão do Jovem Advogado.