Subseção de Itararé nomeia Casa da Advocacia e da Cidadania em homenagem a ex-presidente


28/06/2016

Subseção de Itararé nomeia Casa da Advocacia e da Cidadania em homenagem a ex-presidente
Momento do descerramento de placa na sessão solene de nominação da Casa da Advocacia da Subseção de Itararé, que passa a se chamar Douglas José Tomass

Sob o olhar atento de ex-presidentes e autoridades locais, a diretoria da OAB de Itararé fez a nominação da Casa da Advocacia e da Cidadania, que recebeu o nome de Douglas José Tomass, em homenagem ao advogado que presidiu a Subseção (gestão 1997/2010) e fez diversas benfeitorias pelo município. A cerimônia marcou ainda a inauguração da galeria de presidentes da Ordem local, criada em 1987.

Representando a diretoria da Secional paulista, o vice-presidente, Fábio Romeu Canton Filho, avaliou a importância de homenagear um advogado que tanto lutou em prol da classe e pela sociedade itarareense. “Essa cerimônia não se restringe ao universo da OAB. É um benefício para toda a sociedade”, afirmou, referindo-se a determinação empreendida por Tomass para a instalação da Subseção, da Casa do Advogado e das varas Judicial e do Trabalho. “Ele foi um paradigma da Advocacia e de toda a sociedade. Vai ser lembrado permanentemente”, adicionou.

Subseção de Itararé nomeia Casa da Advocacia e da Cidadania em homenagem a ex-presidente
Gustavo Stefanuto, presidente da Subseção de Itararé, durante a sessão solene de nominação da Casa da Advocacia da Subseção

Gustavo Stefanuto, presidente da Subseção, relatou a experiência obtida ao ter de estudar a história de Tomass. De acordo com ele, as dificuldades que os advogados e os jurisdicionados tinham de se deslocar para outras comarcas em busca de Justiça foram determinantes para que o homenageado buscasse esses serviços essenciais para o município, distante quase 400 quilômetros de São Paulo. “Exemplos como os deixados pelo dr. Douglas demonstram a força da Advocacia”, afirma.

Coube a Tosca de Lucca Ferraz Tomass, filha do homenageado, descrever a determinação do pai: “Ele começou a trabalhar muito cedo e, já casado, fez administração e Direito. Depois, ingressou no mestrado, para se tornar professor”.

Além de Fábio Canton, compareceram pela OAB SP os conselheiros Secionais Rui Augusto Martins e Luiz Gonzaga Lisboa Rolim, e presidentes das Subseções da região. Também marcaram presença representantes do Judiciário, do Executivo e do Legislativo municipal, além da viúva, a advogada Maria Catarina Benini Tomass e demais familiares.