Advocacia pode contribuir com a Justiça Federal para dar mais agilidade ao Judiciário


29/08/2016

A contribuição das entidades representativas é fundamental para que os organismos institucionais funcionem adequadamente. Nesse ideário, cabe à Ordem dos Advogados do Brasil contribuir com o Judiciário na busca de uma Justiça mais rápida, acessível e efetiva. Por conta disso, a Seção São Paulo da OAB chama os advogados a participarem de pesquisa sobre governança participativa do Conselho da Justiça Federal, que irá definir suas metas para 2017, na busca do aperfeiçoamento de desempenho.

A advocacia, detentora do conhecimento jurídico, precisa aproveitar o momento para dar sugestões e tentar garantir uma melhor gestão de julgamentos nos tribunais. Conforme entendimento do presidente da Secional paulista da Ordem, Marcos da Costa, a contribuição do advogado será fundamental: “É nosso dever defender os cidadãos que têm conflitos judiciais. Quanto mais rapidamente forem os solucionados os litígios, mais a sociedade terá garantido seus direitos, sem ter de conviver com a ansiedade de processos tramitando por longos anos antes de serem resolvidos”.

A consulta no site da Justiça Federal (http://www.cjf.jus.br/observatorio/governancaparticipativa.php) está dividida por cidadão, advogado, magistrado e servidor, cada qual com perguntas específicas. O registro das respostas não contém informação de identificação. Caso o profissional do Direito tenha usado um código de identificação para acessar a pesquisa, ele não será armazenado junto com as respostas.

Além de perguntas pessoais, para balizar o levantamento, como idade e tempo de atuação, o formulário traz questões para impulsionar o desempenho institucional. Entre elas, em quais tipos de processos o Judiciário deve dar prioridade.