Altino Prazeres apresenta propostas sobre mobilidade urbana na OAB SP


13/09/2016

Altino Prazeres apresenta propostas sobre mobilidade urbana na OAB SP

Com uma política voltada para os movimentos sociais, o maranhense Altino Prazeres participou nesta terça-feira (13/09) do lançamento do “Manifesto por eleições limpas” da Seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil, que pede o comprometimento dos candidatos com a ética e a transparência ao longo da campanha e durante o curso do mandato. Concorrente ao cargo de prefeito pelo PSTU, tendo como vice-prefeita a professora Janaina Rodrigues Prazeres, ele centrou os 20 minutos a que teve direito em temas voltados para a mobilidade urbana. Falou ainda de projetos com a participação popular e da carência de creches para atender às mulheres que moram na periferia paulistana e precisam trabalhar.

Ao abrir seu discurso, o presidente do Sindicato dos Metroviários agradeceu a oportunidade de poder falar de seu programa de governo em uma casa democrática, como é a OAB SP. “Temos poucos espaços como este para expor nossas ideias”, diz. “Na propaganda eleitoral, por exemplo, são apenas cinco segundos por inserção”, acrescenta. Prazeres defende mudanças a partir de manifestações livres, voltadas para o enfrentamento da crise moral pela qual passa o país, e que influi diretamente no desenvolvimento de grandes cidades como São Paulo. “Vamos fazer um governo que atenda, minimamente, às reivindicações dos trabalhadores”, ressalta.

O candidato apontou alguns problemas para governar o munícipio. Entre eles o orçamento, para quem a dívida municipal com a união não é justa, por conta dos juros absurdos. “Com esses R$ 300 milhões que são retirados mensamente de São Paulo, poderíamos fazer diversas obras públicas, ao invés de mandar para a união.” Com relação à governabilidade participativa, acredita que a discussão em qual obra e local deve ser investido o dinheiro do município deve ser feita regionalmente. Ele avalia ainda que alguns setores devem ser estatizados, mas que precisa ocorrer uma maior fiscalização dos contratos para evitar a corrupção. E finalizou relatando que a solução para as grandes cidades é investir no transporte sobre trilhos. “Se vocês forem a algumas cidades grandes, de países desenvolvidos, vai ver que o metrô é muito maior e tem mais cruzamentos, ajudando a evitar as superlotações”.