Antes de firmar compromisso na OAB SP, Haddad fala sobre finanças, mobilidade, saúde e educação


13/09/2016

Antes de firmar compromisso na OAB SP, Haddad fala sobre finanças, mobilidade, saúde e educação

Em evento organizado pela OAB SP nesta terça (13/09), o atual prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, candidato à reeleição pelo PT, apresentou dados sobre dívida, investimentos e desembolso de precatórios - além de destacar os próximos passos de planos para as áreas de educação, saúde e mobilidade. "A cidade tem plano de voo até 2030. Há planos para todas as áreas, aprovados por conselho paritário ou pela Câmara Municipal", disse. O encontro reuniu candidatos à prefeitura com o objetivo de dar espaço para que apresentassem propostas de governo. Haddad abriu sua apresentação com dados sobre a saúde financeira da cidade. “A nossa dívida saiu de R$ 40 bilhões, aproximadamente, quando foi assinado o contrato no governo Pitta (...) e tinha uma trajetória explosiva. Chegou a responder por mais de 200% da nossa receita líquida”, disse. “Hoje caiu a menos da metade do que era”. Segundo o prefeito, o comprometimento atual é de 70% da receita líquida – cinquenta pontos porcentuais abaixo do que a Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece como teto.

Com isso, lembrou, abriu-se espaço fiscal para investimentos. Sobre os aportes feitos, a cifra de investimento real (descontada a inflação) alcançou R$ 17 bilhões entre 2013 e 2016. O atual prefeito também disse que pagou o fluxo e resgatou parte do estoque de precatórios. De acordo com dados que apresentou, o desembolso chegou a R$ 5,2 bilhões. “Do ponto de vista das finanças, a cidade nunca esteve tão sã”. Sobre projetos, Haddad destacou aspectos do Plano Diretor Estratégico, falou sobre a lei que reconfigura as margens do Tietê e a continuidade do programa de mobilidade. “Vamos completar o programa tirando todo o transporte de carga do centro expandido. O rearranjo da distribuição de cargas será somado a tudo o que foi feito pela mobilidade: faixas e corredores de ônibus, passe livre para o estudante e o idoso, bilhete mensal, transporte noturno”, disse. Na ocasião, o petista lembrou que o trânsito da capital paulista era o 7º pior do mundo e hoje ocupa a 58ª posição.

Entre os avanços projetados para a área de educação, citou o plano de incluir cursos profissionalizantes nos CEUs – cujas estruturas acabam de ‘ganhar’ universidades gratuitas. Além disso, há intenção de a prefeitura passar a oferecer oportunidade de estágios para esses jovens. Em saúde, além de citar a construção, em andamento, de três hospitais gerais em Parelheiros, Jabaquara e Brasilândia, destacou o projeto do prontuário eletrônico. O sistema permitirá, ao médico, agilizar tanto o acesso a dados do usuário como também a troca de informações com outros especialistas. “Um médico, usando uma senha, poderá acessar os dados do paciente de qualquer lugar. Introduzirá, em São Paulo, a telemedicina, que barateia custos em função de procedimentos online e permite a segunda opinião em tempo real”, finalizou.