Jovem advocacia e advogadas ganharam destaque no 37º Colégio de Presidentes em Campinas


28/10/2016

Gisele Fleury Charmillot Germano de Lemos, secretária-geral adjunta da OAB SP.

As conquistas da mulher advogada e a presença cada vez maior dos jovens advogados na instituição foram abordados no painel “O empoderamento da mulher e a jovem advocacia”, um dos destaques do 37º Colégio de Presidentes de Subseções da OAB SP, realizado em Campinas (21/10). A presidente da Subseção de Itapecerica da Serra, Neuza Penha Gava Otero, presidiu a mesa que contou com a presença de Célia Leão, deputada estadual; Leandro Caldeira Nava, presidente da Comissão do Jovem Advogado; Kátia Boulos, presidente da Comissão da Mulher Advogada; e Gisele Fleury Charmillot Germano de Lemos, secretária-geral adjunta da OAB SP. O presidente da OAB SP, Marcos da Costa, também participou das conversas que focaram uma as bandeiras da gestão, que é ampliar a presença feminina na instituição.  

Neuza Penha abriu os trabalhos e lembrou que, atualmente, do total de presidentes de Subseções no Estado de São Paulo, apenas 31 são mulheres contra 211 homens. A diferença ainda é grande, mas vem mudando. Há cada vez mais mulheres na profissão. Por isso, a presidente de Itapecerica da Serra mostrou-se orgulhosa ao divulgar o número de advogados inscritos na OAB SP com menos de 40 anos de idade, sendo 70.631 mulheres e 56.726 homens. “As mulheres estão conquistando o seu lugar”, argumentou. “Precisamos trazer a mulher advogada para discutir prerrogativas, acesso à Justiça e honorários advocatícios, pois são temas que também interessam a elas”, salientou Gisele Fleury. Ela destacou, ainda, a importância de estimular a participação das mulheres advogadas na política institucional da Ordem.

Na ocasião, a deputada estadual Célia Leão elogiou a iniciativa daquela tarde.“Adoro ver a presença masculina nesses debates porque, felizmente, há muitos que nos apoiam e a mulher está ligada intrinsecamente à vida do homem”, observou. Já a advogada Kátia Boulos citou inúmeros desafios a serem alcançados. “Combater as desigualdades e lutar pela igualdade salarial, que apesar da capacitação educacional ainda existem; abolir a violência de gênero e incentivar a participação política das mulheres tanto na partidária como na institucional estão nessa lista”, disse.

Para Leandro Nava, a relevância da força da jovem advocacia dentro da Secional paulista da OAB pode ser comprovada em números. O presidente da Comissão do Jovem Advogado informou que apenas neste ano já foram entregues 16 mil novas carteiras – sendo 65% entregues para advogadas. “A jovem advocacia não é o futuro, ela é o presente”, disse.

Também compuseram a mesa os representante das Subseções: Alexandre de Araújo (São Vicente); Vanette Camargo Gonçalves (Butantã); Mateus Brandi (São Sebastião da Grama); Claudia Patrícia Arnal Carrasco Nogueira Dias (Estrela D’Oeste); Joselito Rodrigues de Paula (Mauá); Regger Eduardo Barros Alves (Itapetininga); Ana Paula Ribas Capuano (Promissão); Alessandro Gomes da Silva (Cajuru); Frank Vinicius Cones (Santa Bárbara D’Oeste); Liliane Gazzola Faus (Itu), e o representante da CAASP foi o diretor Rossano Rossi.