Conselho Secional presta homenagem à advogada Alexandra Szafir


21/11/2016

Conselho Secional presta homenagem à advogada Alexandra Szafir
Alberto Zacharias Toron, presta homenagem a Alexandra Lebelson Szafir, durante a Reunião do Conselho da OAB SP

Na sessão desta segunda-feira (21/11), o Conselho Secional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil prestou homenagem póstuma à advogada Alexandra Szafir, falecida no dia 04 de novembro, vítima de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), doença degenerativa progressiva que atinge os neurônios, causando falência muscular e motora e dificuldades respiratórias. A advogada Alexandra pautou sua vida pela dedicação humanista, preocupada com o próximo, muito além das causas criminais que defendeu em sua carreira profissional.

Alberto Zacharias Toron, ex-conselheiro federal da OAB e sócio de Alexandra em escritório de advocacia, traçou um retrato da guerreira que nunca se deixou abater por doença tão difícil, complexa e pouco conhecida. Ela era advogada preparada que se dedicava à defesa dos clientes com energia exemplar”, ponderou Toron a falar para os pares na sede institucional da Ordem paulista. “Mesmo na fase mais aguda da doença, ela continuava fazendo o bem, inclusive buscando remédios para pessoas com a mesma doença, mas que não tinham possibilidades financeiras”, acrescentou.

Conselho Secional presta homenagem à advogada Alexandra Szafir
Marcos da Costa, presidente da OAB SP, cumprimenta o advogado Alberto Zacharias Toron após homenagem a Alexandra Lebelson Szafir, durante a reunião do Conselho

Diante dos conselheiros secionais, Toron lembrou ainda da garra de sua sócia ao enfrentar as dificuldades que a doença lhe causava, comunicando-se por meio de sistemas de informática, que captavam os movimentos do rosto dela de forma a movimentar o mouse. Dessa maneira ímpar foi que ela escreveu o livro “Descasos: uma advogada às voltas com o direito dos excluídos” (Editora Saraiva). Uma lição de perseverança, cuja renda foi revertida para a Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica (AbrELA).

Alexandra Szafir foi notória ao denunciar a falta do medicamento Riluzol, o único indicado para a doença, para os pacientes brasileiros e assim tornou-se símbolo da luta contra a ELA no Brasil. Ela também foi membro do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM) e venceu Prêmio Advocacia Solidária 2006, oferecido pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e o Instituto Pro Bono.