Marcos da Costa participa da XIV Conferência Estadual da Advocacia (MS)


19/06/2017

A Secional sul mato-grossense da Ordem dos Advogados do Brasil realizou, de 8 a 10 de junho, na capital Campo Grande, a sua XIV Conferência Estadual da Advocacia. Marcos da Costa, presidente da OAB SP, participou da solenidade de abertura (08/06) e falou da importância dos eventos que reúnem a advocacia: “As nossas Conferências não são apenas eventos com palestras e painéis, são mais que um espaço onde a advocacia manifesta as suas posições sobre temas da nossa corporação. As Conferências são palco da cidadania e, historicamente, muitos dos avanços que tivemos neste País nasceram em Conferências da Advocacia”.

O presidente da Ordem paulista aproveitou a ocasião para convidar a advocacia sul mato-grossense para a XXIII Conferência Nacional da Advocacia Brasileira, que será realizada em São Paulo, de 27 a 30 de novembro. Marcos da Costa entende que essa edição do evento ocorre no momento em que a advocacia, mais uma vez, é chamada pela sociedade brasileira para manifestar-se sobre os temas relevantes. Ele recapitulou um dos momentos importantes do encontro nacional da classe: “Temos contribuído novamente para o nosso país, debatendo temas, de interesse da Nação. A Conferência Nacional da Advocacia vem sendo palco para grandes avanços sociais, cito como exemplo a Conferência de Curitiba (1978), quando se anunciou a volta do habeas corpus, o que representou para muitos historiadores a derrocada da Ditadura Militar”.

Durante a Conferência Estadual, o presidente da OAB MS, Mansour Elias Karmouche, recebeu diversas lideranças da advocacia, locais e de outros estados. “Nesse momento não deve haver crenças, ideologias, conceitos e pensamentos teóricos que nos dividam. Formamos aqui um só corpo, com um só interesse, com um único propósito: a superação”, propôs Karmouche. O presidente do Conselho Federal da OAB fez o último discurso da solenidade de abertura da Conferência Estadual da Advocacia (MS). Cláudio Lamachia destacou o papel da OAB na defesa do combate à corrupção, preservados os pressupostos do devido processo legal e do Estado Democrático de Direito. “Nós vemos hoje um quadro político se agravando em função de diversas denúncias e precisamos desta depuração, o Brasil precisa disso. Temos de vencer essa cruzada contra a corrupção e contra a impunidade”.