Você está aqui: Página Inicial / Notícias / 2017 / 06 / Mulheres advogadas do Sul e Sudeste discutem igualdade de gênero na Secional paulista da OAB

Notícias

Mulheres advogadas do Sul e Sudeste discutem igualdade de gênero na Secional paulista da OAB


22/06/2017

Mulheres advogadas do Sul e Sudeste discutem igualdade de gênero na Secional paulista da OAB
Reunião das presidentes de Comissões das Mulheres Advogadas

A Secional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil sediou a 1ª Reunião das Comissões da Mulher Advogada do Sul e do Sudeste (19/06). O encontro teve como objetivo a construção de parcerias para o fortalecimento das ações em prol da igualdade de gênero com a aproximação das comissões das regiões, assim como troca de experiências entre as profissionais e registros da evolução da participação da mulher advogada na instituição. 

No encontro inédito, a presidente da Comissão anfitriã, Kátia Boulos, fez uma apresentação sobre o modelo de trabalho voltado para a mulher advogada no estado de São Paulo, com destaque para a criação e instalação das 23 Coordenadorias Regionais da Comissão da Mulher Advogada: “A missão das Coordenadorias é observar as especificidades de cada região, otimizar a participação das advogadas e concretizar os projetos do Plano Estadual de Valorização da Mulher Advogada, aprovado pelo Conselho Secional, em 2016”. A estrutura montada pelas Coordenadorias Regionais da Comissão da Mulher Advogada também está colaborando para disseminar projetos desenvolvidos localmente, o que é possível por meio da integração que já existe entre as regionais.

A vice-presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada e vice-presidente da Secional de Minas Gerais da OAB, Helena Delamonica, que idealizou o encontro das Comissões elogiou o projeto, que servirá de modelo para outras Secionais da Ordem. “Precisamos promover essa aproximação entre o Sudeste e o Sul. Por isso, conversei com a Kátia, que é presidente de Comissão na maior Secional do país para organizarmos, em conjunto, essa reunião e assim entender o que cada uma está fazendo em seu estado”, pontuou Delamonica.

Por seu lado, a secretária-geral adjunta da Secional paulista, Gisele Fleury Charmillot Germano de Lemos, recordou que iniciou seus trabalhos na instituição justamente na Comissão da Mulher Advogada e avalia que esta é a porta de entrada das colegas. “Ano que vem vou completar 20 anos de Comissão da Mulher Advogada, onde fui incluída na política da entidade. Nós somos privilegiadas em nossas regiões, pois a inclusão da mulher já ocorre com mais naturalidade, mas temos que levar isso para todo o país”, apontou Gisele que acredita que as comissões têm também o papel de qualificar as colegas.

Medalha Rui Barbosa


Indicada por unanimidade para receber a medalha Rui Barbosa durante a XXIII Conferência Nacional da Advocacia, que será realizada de 27 a 30 de novembro no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, a conselheira Federal Cléa Carpi foi a convidada de honra dessa primeira reunião e partilhou suas experiências com as colegas.

A advogada foi a primeira presidente da Secional da OAB do Rio Grande do Sul e é decana no Conselho Federal. “Na nossa caminhada temos momentos marcantes como a aprovação, em 2014, da cota de gênero de 30% nos conselhos. Tivemos também a transformação da Comissão Nacional da Mulher Advogada em estatutária, que deu uma visão maior da nossa força na política institucional. Sem dúvida, a visibilidade da mulher advogada tem aumentado, a trajetória, porém, não é fácil. Completamos em novembro 86 anos da OAB Nacional, mas até agora só conseguimos eleger nove presidentes de Secionais”, contextualizou para as presentes. 

Entre as iniciativas apontadas para aumentar a participação feminina na OAB estão a realização de pesquisas, por meio das Subseções das Secionais, para conhecer melhor as advogadas que militam nos estados, e o cadastramento e capacitação das palestrantes. “Precisamos visualizar e dar visibilidade ao trabalho feito pelas mulheres advogadas em todo o país”, recomendou Cléa Carpi. 

O presidente da OAB SP, Marcos da Costa, fez questão de prestigiar a reunião e ressaltar a importância da participação de todas as presentes na XXIII Conferência Nacional da Advocacia, que, após quase 50 anos, retorna a São Paulo. “Estamos trabalhando muito para transformar a Conferência num sucesso, que só será possível com a participação da mulher advogada”, assinalou o dirigente. 

Participaram da reunião Alice Bianchini, membro da Comissão Nacional e Estadual da Mulher Advogada; Cláudia Franco, presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB Minas Gerais; Marisa Gaudio, presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB Rio de Janeiro; Caroline Faria dos Santos, secretária da Comissão da Mulher Advogada da OAB Paraná; Luciane Mortari, presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB Santa Catarina; Margarette de Cássia Lopes, Aline Silva Fávero, Rosa Ramos e Audrey Liss Giorgetti, conselheiras Secionais e membros da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP.

Veja mais imagens na Galeria de Fotos