Tribunal em Mangas de Camisa

Fonte: Grandes Advogados, Grandes Julgamentos - Pedro Paulo Filho - Depto. Editorial OAB-SP

Abraham Lincoln

Num certo dia de verão norte-americano, o cidadão Harvey Ross precisou provar a posse de sua fazenda de Macomb e, por isto, necessitava ouvir o depoimento de uma testemunha residente nos arredores de Springfield. Ocorre que o Tribunal estava fechado, mas Lincoln, advogado de Ross, explicou ao seu cliente que poderiam ir à fazenda do juiz Thomas.
Com um punhado de papéis em uma das mãos e um lenço vermelho em outra, com o qual enxugava o suor abundante do rosto, Abraham Lincoln, Ross e a testemunha dirigiram-se à fazenda do juiz Thomas.
Entretanto, o juiz não estava em casa; havia ido à residência de um arrendatário, na parte Norte de sua fazenda, a fim de ajudar seus camaradas a levantar um paiol de milho e um chiqueiro. Se usassem a estrada, caminhariam meia milha, mas se cortassem o milharal não seria mais de um quarto. Não tiveram dúvidas, partiram a pé pelo milharal, em fila indiana, à frente Lincoln com os papéis em uma das mãos e o lenço vermelho em outra.
Quando chegaram ao destino, o juiz Thomas estava ajudando o pessoal a levantar os troncos. O advogado Abraham Lincoln explicou o caso ao juiz, que passou os olhos nos papéis que lhe foram apresentados, tomou o juramento da testemunha e com a caneta e tinta emprestadas do arrendatário assinou os documentos Todos se achavam sem paletós, ao que Lincoln lembrou que aquilo parecia um Tribunal em mangas de camisa.
Lincoln ofereceu-se a ajudar nos serviços, o que logo foi aceito e todos passaram a trabalhar, ajudando o magistrado Thomas. Ao final, Ross perguntou ao juiz em quanto importavam os seus honorários, ao que o magistrado respondeu considerar-se pago pelos esforços físicos prestados por todos.
Este é um exemplo bem sugestivo do "the time is money" da justiça norte-americana, do qual participou um dos maiores presidentes dos Estados Unidos, naquela época simples advogado, Abraham Lincoln.
Certa vez, disse em Springfield:" Sempre que puderes, leva o teu próximo a comparar. Esclarece-lhe que o vencedor aparente é, muitas vezes, o verdadeiro vencido pelo que perde em custas, honorários e tempo.
Como conciliador, um advogado tem centenas de probabilidades de ser um homem útil. Não lhe faltarão novas causas.
Deve abster-se de excitar qualquer contenda, pois não há nada pior do que mau conselheiro."
Conta-se uma história sobre o desprendimento e honestidade do advogado Abraham Lincoln. Certa vez, depois de haver conseguido despachar uns papéis de poderosa empresa norte-americana, esta lhe enviou como pagamento 25 dólares. Abraham Lincoln devolveu dez dólares junto com o seguinte bilhete:
"Os senhores devem julgar-me um homem de preços muito elevados. Exageram. Quinze dólares são o bastante para o serviço. Aqui vão o recibo e dez dólares de volta."