As origens da OAB no Império

Fonte: "Notícia Histórica da Ordem dos Advogados do Brasil 1930-1980" Alberto Venancio Filho

A metrópole portuguesa proibira a fundação de universidades em terras brasileiras. O Brasil colonial não poderia pensar sozinho. Após a independência em 1822, entretanto, a nação ganharia sua primeira Constituição. Em 1827, no dia 11 de agosto, a Assembléia Legislativa definia a criação de dois cursos jurídicos, em São Paulo e Olinda, respectivamente. Com a estruturação dos cursos de direito, já era possível pensar na formação de uma entidade de classe, cujo caráter oficial, moralizaria de fato a advocacia brasileira. Enquanto isso, crescia o número de advogados e sua conseqüente representatividade nos meios políticos. Em 1843, no dia 7 de agosto, o Governo Imperial finalmente aprovava os Estatutos do Instituto dos Advogados Brasileiros.