Ricardo Tripoli, em competição ao Senado pelo PSDB, defende revisão do pacto federativo

Tweet


11/09/2018

Ricardo Tripoli, em competição ao Senado pelo PSDB, defende revisão do pacto federativo

O político Ricardo Tripoli (PSDB) encerrou a parte da manhã do primeiro dia do encontro promovido pela OAB SP com os candidatos ao Senado Federal por São Paulo para apresentarem suas plataformas políticas. Logo no início, Tripoli relembrou a sua trajetória política com início na década de 1980. Desde então, na vida pública, o deputado federal já ocupou cargos de vereador, secretário municipal e deputado estadual, além de ter liderado a Pasta do Meio Ambiente nos governos de Mário Covas e Geraldo Alckmin. 

O presidente da Secional, Marcos da Costa, reiterou o objetivo da iniciativa de valorizar o Legislativo. “As pessoas precisam compreender a importância do Senado, casa com atribuições específicas para a representação dos estados”, disse o candidato.

Em meio às propostas, Tripoli defende a revisão do pacto federativo. “Hoje 21% da população brasileira mora no estado de São Paulo, mas vejo injustiça. A arrecadação de impostos federais somou R$ 550 bilhões em 2017 e menos de 7% voltaram para cá”, afirmou. “São Paulo precisa de mais recursos para atender questões prioritárias como saúde, educação e segurança pública”. O candidato também vê como prioridades a redução da carga tributária – visando geração de emprego e renda – e atenção à gestão de empresas públicas. Ricardo Tripoli, que apesar da carreira política é advogado, se mostrou sensível a questões ligadas à Justiça. Destacou atenção às sabatinas realizadas pelo Senado no processo de escolha de membros de tribunais superiores.

Em seguida, disse ver o Exame de Ordem como critério avaliador importante para habilitar a classe de modo que melhor atenda o cidadão e disse ver como preocupante a ausência da advocacia em conciliações. Ao final, assinou o Termo de Compromisso de Candidato – Eleições Limpas 2018

Compartilharam a mesa da apresentação do candidato Gisele Fleury Charmillot Germano de Lemos, secretária-geral adjunta da OAB SP; as conselheiras Secionais Tallulah Kobayashi, Rosa Ramos e Rosemary Oggiano; Luciano Caparroz, presidente da Comissão contra Caixa Dois nas Campanhas Eleitorais; Evaristo de Azevedo, presidente da Comissão de Direito às Artes; e Maria Silvia Moreira Salata, vice-presidente para a Área do Jovem Advogado da Comissão de Direitos e Prerrogativas.

Cidadania e Advocacia
No encerramento de todas as apresentações dos candidatos ao Senado, Marcos da Costa tem enfatizado o histórico papel da Ordem dos Advogados do Brasil em defesa da cidadania e da advocacia. Destaca que o evento promovido pela OAB SP busca valorizar o voto consciente nas próximas eleições e contribuir para a maior exposição dos pleiteantes ao Legislativo, já que diante de votação também para pleito majoritário, como é o caso, a mídia tende a dar maior espaço e visibilidade aos concorrentes para os cargos do Executivo.

Aos que compareceram à entidade para falar de suas plataformas políticas, o dirigente da advocacia paulista pediu apoio para a implementação de propostas voltadas à defesa da advocacia, mas que têm relação direta com a defesa da cidadania. Listou entre os pontos relevantes a presença obrigatória da advocacia em audiências de conciliação e mediação e a manutenção do Exame de Ordem, com o maior controle na abertura de cursos de Direito sem a devida qualidade.

A íntegra das apresentações dos 18 pretendentes que participaram do evento #oabspnaseleições está disponível nas plataformas de Comunicação da entidade em dois links, uma para o dia 10/9  https://www.youtube.com/watch?v=TMfjEOhl_ek e outro para o dia 11/09  https://www.youtube.com/watch?v=_8bgFYBqEVs