MOVIMENTO CANSEI REÚNE 5 MIL PESSOAS NA PRAÇA DA SÉ

17/08/2007

Cerca de 5 mil pessoas participaram do Ato Público e culto ecumênico , realizados nesta sexta-feira (17/8), na Praça da Sé, pelo Movimento Cívico pelo Direito do Brasileiros (Cansei). O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, abriu a manifestação para explicar os objetivos do Movimento e encerrou com o hino nacional, puxado pelo cantor Agnaldo Rayol. A coordenação do Movimento fez um balanço altamente positivo desta primeira manifestação.

A concentração para o Ato Público e Culto Inter-religioso, organizado pelo Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros (Cansei) começou cedo na sede da OAB SP, onde os representantes das mais de 60 entidades organizadoras, artistas, desportistas, diretores e conselheiros da OAB SP chegaram desde as 11 horas, reunindo-se nos auditórios do 1 º e 2 º  andares. Quase às 13 horas, os convidados se deslocaram do prédio da Ordem para o palco em frente às escadarias da Sé.

Na abertura do ato público, o  presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, destacou, mais uma vez,  que o  movimento não tem cunho político-partidário e que pretende acordar a sociedade brasileira para participar do processo democrático. “Esse movimento nasce da sociedade, do povo, esse movimento é apartidário. Esse movimento não é contra governo. É  a favor do Brasil. O movimento tem uma expressão que tenta traduzir o sentimento de todo brasileiro, que é a expressão Cansei, seja  da corrupção,  criminalidade,  bala perdida,  criança abandonada,  caos aéreo,  carga tributária e  impunidade”, afirmou D´Urso.

Às 13 horas, a Sé silenciou para  observar um Minuto de Silêncio pelo Brasil . Ao final do ato simbólico, as pessoas aglomeradas nas escadarias da Catedral da Sé e à frente do palco - aplaudiram.  “Esse minuto de silêncio não acaba aqui, porque além de ser uma homenagem em  memória das vítimas que morreram no último acidente aéreo, é uma homenagem póstuma a todos aqueles  perderam a vida, em outros tragédias aéreas, como vítimas da criminalidade ou nas estradas. Este minuto de silêncio é para  todos aqueles que tiveram brutalmente suas vidas ceifadas, é uma atitude de indignação diante de todos os problemas brasileiros ”, enfatizou  D´Urso.

Além de representantes de entidades de classe, artistas,  desportistas e jornalistas emprestaram seu apoio ao Movimento Cansei e participaram da manifestação, como  Hebe Camargo, Ivete Sangalo, Agnaldo Rayol, Osmar Santos, Silvia Poppovic, Paulo Vilhena, Mayara Magri, Fernando Scherer (Xuxa), Wanderléa e Carlos Alberto de Nóbrega.

Culto Ecumêmico

 O culto inter-religioso reuniu o padre  Antônio Maria, , o rabino Michel Schlensiger, e o pastor Wagner dos Santos Ribeiro.“Viemos à praça dizer uns aos outros e a nossa pátria que estamos cansados. Diante da Casa de Deus, nós queremos também ouvir Deus nos falar. Hoje, Ele também diz para nós: Estou cansado”, afirmou o padre.

 O rabino Michel Schlesinger destacou a importância do ato. “Também nós estamos cansados de não fazer o que temos de fazer. Esse ato é uma alavanca para muitos outros momentos que todos nós devemos viver para que nosso país se torne realmente o país querido por todos”, advertiu.

 O ato ecumênico foi finalizado pelo pastor Wagner dos Santos Ribeiro, da igreja Metodista, que explicou porque apóia o movimento: “A indignação perante a impunidade, à injustiça deve ser revelada por todo cidadão brasileiro consciente. Eu acredito em um país melhor para os meus filhos, para os meus netos e por isso participo desta manifestação cívica.”

 Encerrado o culto inter-religioso, todos os integrantes do palco deram-se as mãos e o cantor Agnaldo Rayol, ao lado de Ivete Sangalo,  puxou  o Hino Nacional,  acompanhado pela  multidão que lotou a Praça da Sé. O presidente D´Urso encerrou a manifestação com  um “ Viva o Brasil” e foi acompanhado pela platéia.

 

Avaliação

Na  avaliação da coordenação do Movimento, o  resultado da manifestação foi positiva. " Foi extraordinaário. Nosso propósito era buscar uma grande mobilização de atitude, não convergindo para a Sé, mas que os brasileiros pudessem realizar seu minuto de silêncio onde estivessem. Não havia expectativa de reunir uma grande massa de pessoas, mas nos surpreendeu o número de pessoas que compareceu tomando a praça e as escadarias", disse D´Urso.

 Segundo o presidente, o Movimento não pára na manifestação.  O primeiro passo foi alcançado e o movimento pretende manter um diálogo permanente com os governos para canalizar as propostas da sociedade . Também está agendada para  os próximos 15 dias um encontro  da coordenação do Movimento com o ministro da Justiça, Tarso Genro, e com o secretário de Justiça do Estado, Luiz Antonio Marrey.