Comissão da Mulher Advogada faz protesto


25/09/1998

Comissão da Mulher Advogada critica adiamento de aborto

A Comissão da Mulher Advogada da OAB-SP, por meio de sua presidente Lais Amaral Rezende de Andrade, considerou “ descabida a atitude e ilegal o recurso impetrado pelo Promotor de Justiça, Reuder Cavalcante Motta, contra a autorização para a menina C.B.S, de 10 anos - que engravidou em decorrência de estupro continuado - de realizar um aborto na cidade goiana de Israelândia. A Comissão - reafirmando seu compromisso de respeito à dignidade da pessoa humana, como valor ético essencial - também deixou registrado o seu protesto em relação ao tratamento que setores da Igreja Católica vem dispensando à criança e sua família que, embora legalmente respaldadas para a realização do aborto nos dois casos legalmente previstos – estupro e risco de vida para a mãe - vem sendo assediada com “presentes” para rever sua decisão.