Ceneviva emite parecer sobre ofensa de <i>Ratinho</I>


23/07/1999

Ceneviva emite parecer sobre ofensas de Ratinho

O advogado e jornalista Walter Ceneviva foi o relator do parecer referente às representações interpostas pelos advogados E.Q. e E. S. F. contra o apresentador Carlos Massa, o &#8220;Ratinho&#8221;, que em seu programa de TV teria aviltado a integridade da classe dos advogados. No seu parecer à Comissão de Prerrogativas da OAB-SP, Ceneviva lembra a segunda cena do segundo ato de Henrique IV, escrito há 406 anos, por Shakespeare. Na peça, ao final de um diálogo entre vários personagens que discutem os problemas da Corte do monarca, um deles sugere: &#8220;Em primeiro lugar, matemos todos os advogados&#8221;.

Ceneviva argumenta que &#8220;Lidando com interesses materiais, com questões de família ou com a criminalidade crescente, nós, advogados, somos naturalmente um alvo fácil para a crítica espetaculosa, ainda que não fundamentada e com a mais absoluta frequência, muito injusta. Há mais de quatrocentos anos, Shakespeare demonstrava que esta situação não é nova. Todavia, é manifesto que quem cala consente, sendo também de nosso dever prestar esclarecimentos aos formadores de opinião, que só acham bons os advogados quando os defendemos. Todavia, no cumprimento desse dever, penso que não podemos deixar de lado a preservação da liberdade de imprensa, ainda que eventualmente sejamos vitimados pelos abusos dos ignorantes e dos mal formados. Tenho comparado este difícil meio termo a um fio da navalha, no qual o mais leve desvio, pendendo para um dos lados, pode levar à enormidade do delito ofensivo dos garotos do bar Bodega, dos professores da escala Base, ao escândalo da Cláudio Lis e de sua lipoaspiração&#8221;.

Argumenta ,ainda, que a Ordem tem o sério dever de preservar seus inscritos e também de garantir a livre manifestação do pensamento, concluindo: &#8220;porquanto estou certo de que não podemos também ignorar que a ofensa depende muito de quem ofende, do estilo e das qualidades do ofensor, tanto quanto do estilo e das qualidades do ofendido. Há profissionais desabridos, que o público os conhece como tal e que dá o devido desconto quanto ao que dizem e escrevem&#8221;. O parecer foi acatado pelo presidente da Comissão de Prerrogativas, Alberto Rollo.