Consciência do dever cumprido: Presidente da Subsecção de Pederneiras fala sobre a Reunião em Águas de Lindóia.


17/11/1999

Consciência do dever cumprido: Presidente da Subsecção de Pederneiras fala sobre a Reunião em Águas de Lindóia.
Confesso-me motivado pela qualidade dos trabalhos desenvolvidos durante a XXVI Reunião de Presidentes em Águas de Lindóia. A melhor dentre todas as que participei.

Não surpreenderam os aspectos organizacionais e diretivos da reunião, impecáveis na essência da palavra, pois se podia antever isso como resultado natural do direcionamento daquilo que de melhor existe nos quadros funcionais e logísticos da OAB SP.

A verdadeira aula ministrada pelo Advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, quando da saudação ao Ministro Carlos Veloso, Presidente do STF, nos propiciou testemunhar a veemente defesa dos interesses da advocacia e da sociedade, servindo para conscientização acerca da necessidade da defesa do Judiciário frente às investidas de poderosos grupos políticos, inescrupulosos interesses minoritários, aos quais não interessa o pleno estado de direito estatutariamente defendido pela OAB.

A qualidade a que me referi no início deste artigo é a conseqüência direta do interesse participativo dos Presidentes ali reunidos, do engajamento, da busca e da divisão das responsabilidades, do debate, do relato de experiências locais, da inquietação, da necessidade de se avançar e acompanhar o ritmo acelerado que a Seccional vem imprimindo em todos os setores, de ser mantida a trilha da valorização profissional, da importância da Advocacia na busca e realização da Justiça e da figura de verdadeiro timão da sociedade e da cidadania, bandeiras essas desfraldadas pela OAB SP, que aos rapidamente ecoam em todos os rincões do país.

Houve significativo ganho participativo e qualitativo nos trabalhos. Para esses avanços, há que se destacar a eficiência e seriedade dos preparativos, coordenados pelo Advogado Carlos Miguel C. Aidar, Secretário Geral da Seccional, abrindo ampla discussão para definição dos temas, consultando as bases, formulando coerente divisão dos painéis, facilitando a participação de todos em todas as discussões, e viabilizando a até então reclamada efetiva condução dos trabalhos pelos próprios Presidentes de Subseccionais, retomando na essência a natureza dessas reuniões.

Essa essência pôde ser extraída da manifestação do Conselheiro José Dileto Salvio, que num dos painéis, pressentindo naquele momento maior participação de Membros do Conselho nos debates, com a propriedade que lhe é peculiar, alertou os colegas Conselheiros para a necessidade de serem ouvidos os Presidentes e suas propostas. Ao nosso modo de ver, trata-se um importante e consciente avanço do Conselho Seccional, que na avaliação final do encontro demonstrou haver muito bem desempenhado a salutar prática da arte de ouvir, aguçando nossa curiosidade para as pautas das suas próximas reuniões.

Enfim, todos puderam democraticamente ocupar os seus espaços e formular as propostas nascidas das bases.

No painel n.º 01, do qual fui Relator, ocorreu um fato inusitado na minha experiência desses encontros: das 19 propostas extraídas dos debates, apenas 05 foram aprovadas em plenário, resultando as demais em 04 recomendações. Esse fato revelou que, não obstante fossem todas as 19 propostas pertinentes, no contexto colocado em discussão, houve um aprimoramento seletivo pelo voto, centrando-se o plenário em princípios e instrumentos práticos abrangentes.

Esses avanços, delineados e previsíveis pela seriedade dos preparativos da reunião, nos motivaram à reflexão e ao trabalho. Existem participantes, como eu, que sequer visitaram as instalações desportivas e recreativas dos hotéis, tamanha a motivação e o interesse em traduzir as aspirações da classe. Não que essa atitude fosse a mais recomendada, mas, certamente fora ditada pelas circunstâncias positivas, que nos levaram ao prazer de concentrar esforços nos trabalhos, cunhando, a cada segundo, em cada coração, a mesma emoção que transbordava dos olhos lacrimejantes do Presidente Rubens Approbato Machado naqueles instantes de contemplação do plenário tomado pelos participantes, momentos antes do início da solenidade de encerramento da reunião. Essa emoção foi contagiante, aflorando lágrimas buscadas no fundo das almas sensíveis, pouco acostumadas à demonstração pública dessa grandeza.

Voltei para a casa renovado, ansioso por divulgar os trabalhos e avanços obtidos.
Voltei para a Subseção sem o constrangimento que sentira em outras oportunidades semelhantes, quando muito pouco de positivo havia para repassar aos nossos colegas.
Voltei para Pederneiras motivado, consciente de que os canais existentes entre a Seccional e Subseções multiplicaram-se e hoje estão abertos a todos, indistintamente, visando o mesmo fim – o avanço da Advocacia.
Como a grande maioria dos Presidentes participantes, voltei consciente do dever cumprido.

Advogado Luiz Eduardo Franco
Presidente da 169a Subsecção da OAB SP