OAB-SP discute com sindicatos fim do dissídio coletivo


09/05/2000

OAB-SP discute com sindicatos fim do dissídio coletivo

A OAB-SP discute amanhã, dia 10 de maio, com entidades sindicais o fim do dissídio coletivo, previsto na Reforma do Judiciário. “Parece-nos que o movimento sindical não está ciente do fato de que foi aprovada a extinção do poder normativo da Justiça do Trabalho”, diz o advogado João José Sady, presidente da Comissão do Advogado Assalariado da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional de São Paulo.

Para Sady, a partir do momento em que a norma vier a ser promulgada em segundo turno, as negociações salariais apresentarão um perfil diferente do atual. “Quando o empregador disser não à pauta do sindicato, este ficará com a seguinte escolha: greve ou optar por ficar sem acordo. As greves, portanto, não poderão mais terminar nos tribunais, porque estes já não poderão julgar qualquer reivindicação.

Segundo os advogados trabalhistas está sendo fomentado o fim do Poder Normativo da Justiça do Trabalho e os tribunais só terão poderes para mandar os trabalhadores retornarem ao trabalho quando a greve for abusiva, bem como, para renovar as cláusulas do acordo anterior, se a empresa sugerir tal solução juntamente com o sindicato.

A reunião com as entidades sindicais acontece no salão nobre da OAB-SP (Praça da Sé, 385, 1andar), às 13 horas. Mais informações, na Assessoria de Imprensa da OAB-SP, pelos telefones 3105-0465 e 239-5122, ramal 224.