A OAB-SP E A DECISÃO DA CÂMARA DE VEREADORES


13/07/2000

A OAB-SP E A DECISÃO DA CÂMARA DE VEREADORES

Consciente de seu papel de intérprete dos sentimentos sociais e decidida a continuar sua jornada em favor da ética e da moralidade dos padrões políticos, a Seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil manifesta, mais uma vez, sua profunda convicção de que, ao autorizar seu presidente Rubens Approbato Machado, a ingressar na Câmara Municipal de São Paulo com pedido para investigar as denúncias de corrupção, cooptação e troca de favores envolvendo o prefeito Celso Pitta, agiu em defesa dos legítimos e soberanos direitos da sociedade.
<br><br>
E por assim crer, junta sua voz ao clamor e à indignação da imensa maioria dos paulistanos, frustrados diante da decisão tomada, hoje, pela Câmara Municipal em arquivar o processo de impeachment contra o Prefeito.
<br><br>
Os precedentes e evidências, amplamente divulgados pela imprensa, e corroborados por denúncias de familiares, a quem não se pode negar o fato inconteste de serem testemunhas muito próximas das situações escandalosas descritas, justificavam como justificam o acolhimento da denúncia depois de um intenso processo de investigação, com amplo direito de defesa. É o mínimo que se deveria esperar dos representantes legislativos, a quem o povo confiou, temporariamente, seu poder e sua força, dentro dos princípios basilares da democracia representativa.
<br><br>
Ao fazer vistas grossas aos escândalos denunciados e ao fechar olhos e ouvidos aos sentimentos da sociedade paulista, os vereadores que votaram pelo arquivamento do processo de impeachment colocam seus nomes na contramão da História, submetendo-se, desde já, ao julgamento do povo, logo mais no pleito de outubro.
<br><br>
E os vereadores que procuraram se esconder no voto secreto, para ocultar o medo da execração pública, não conseguirão driblar a vontade inexorável do povo em retribuir, com a mesma moeda, a nefasta decisão tomada contra seus legítimos anseios.
<br><br>
São Paulo, 12 de julho de 2.000
<br><br>
Rubens Approbato Machado<br>
Presidente da OAB-SP