OAB-SP quer que advogado trabalhe sem gravata e paletó


19/01/2001

OAB-SP quer que advogado trabalhe sem gravata e paletó

Diante das condições precárias das instalações das 79 Varas Trabalhistas de São Paulo, a OAB-SP está pedindo ao presidente do Tribunal Regional do Trabalho, Francisco Antonio de Oliveira que, em caráter temporário e durante o verão , autorize os advogados a comparecerem em audiência desobrigados do uso do paletó e gravata.

Em São Paulo, onde são julgados cerca de 400 mil processos, a Justiça Trabalhista funciona precariamente distribuída por cinco prédios no Centro da cidade. Dois na Praça Alfredo Issa e Rua Aurora, locados, e mais três de propriedade da União, na avenida Ipiranga, rua Cásper Líbero e Avenida Rio Branco. "Circulam diariamente cerca de 12 mil pessoas, entre operadores do direito, funcionários e usuários, afirma o secretario geral da OAB-SP, Valter Uzzo.

A dura rotina da Justiça do Trabalho só terá fim , quando estiver terminada a obra do Fórum da Barra Funda, alvo do escândalo de superfaturamento de verbas. " Até que os advogados tenham condições mais condignas de trabalho, a ausência da gravata e do paletó vai atenuar o desconforto rotineiro", afirma o secretário-geral da Ordem.

Mais informações, na Assessoria de Imprensa da OAB-SP, pelos telefones 31050465 e 239-5122, ramal 224.