Ato contra a violência


20/08/2001

Ato contra a violência

Cerca de 150 pessoas compareceram nesta segunda-feira, dia 20 de agosto, ao ato de repúdio , na Praça da República, contra o assassinato do jovem manifestante italiano, Carlo Giulliani, de 23 anos. Ele morreu baleado em 20 de julho por um policial enquanto arremetia contra um veículo policial com um extintor de incêndio, no primeiro dia dos protestos contra a cúpula do Grupo dos Oito (G-8), em Gênova, Itália.

O objetivo da manifestação, segundo o advogado Alexandre Trevizzano, membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, foi mostrar à polícia e à população que a violência não precisa estar ligada a qualquer tipo de reivindicação. “Não podemos permitir que a violência continue grassando em manifestações em todo o mundo. Espero que o ato de hoje seja interpretado como um pedido de paz e que conseqüências trágicas como a de Giulliani não se repitam”, comenta Trevizzano.

A manifestação começou na Praça da República e seguiu até o Consulado Geral da Itália em São Paulo, onde os manifestantes depositaram flores e entregaram um abaixo-assinado repudiando a violência da polícia italiana ao cônsul. Na Itália, amigos, parentes e manifestantes recordaram o crime em cerimônias e manifestações pacíficas.


Mais informações para a Imprensa pelos telefones (11) 3105-0465 ou 239-5122, ramal 224.