Fiscalização para entrada de Armas


15/02/2002

Fiscalização para entrada de Armas

O coordenador da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da OAB-SP, João José Sady, solicitou o apoio do coordenador da Comissão do Conselho Federal, Roberto Freitas Filho, para supervisionar a exportação de armas para o Paraguai. Segundo o coordenador, a venda foi apontada pelo governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, como o principal motivo para a proliferação ilegal de armas no País. A informação surgiu após uma audiência que o coordenador e o presidente da Seccional, Carlos Miguel Ainda, tiveram com Alckmin para entregar as propostas da entidade de combate à criminalidade.

Sady afirmou que o governador acredita que as armas vendidas para o Paraguai voltam ao Brasil em forma de contrabando, o que justifica o número excessivo de armas em poder dos bandidos. Segundo o coordenador, uma das soluções apontadas por Alckmin para o combate à criminalidade no Estado é a proibição da exportação de armas para o Paraguai. “Acatamos a preocupação do governador e já pedimos o apoio do Conselho Federal para intermediarmos soluções junto à União Federal e coibirmos a entrada ilegal de armas no País”, diz Sady.


Mais informações para a Imprensa pelos telefones (11) 3105-0465 ou 3241-5122, ramal 224.