Posse na Subsecção de Barueri


27/01/2004

POSSE NA SUBSECÇÃO DA BARUERI

A posse da nova diretoria da 117a Subsecção de Barueri Brasil- que reúne, ainda, os municípios de Santana do Parnaíba e Jandira - ocorreu no último dia 23 de janeiro, no Alphaville Tênis Clube . Advocacia, democracia e direitos humanos foram os temas que dominaram a maioria dos discursos.
O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso , ressaltou a importância de um trabalho interligado entre todas as Subsecções do estado de São Paulo e a importância da entidade dar maior visibilidade aos interesses coletivos, fazer prestação de serviço jurídico aos desfavorecidos e ampliar o cumprimento dos direitos humanos em todos os setores.

O novo presidente da OAB-Barueri, Antonio Frederico Carvalheira de Mendonça, reiterou as idéias de D´Urso sobre a missão do advogado em defender, principalmente, os excluídos, de uma sociedade tão cheia de contrastes e injustiças sociais. Seguindo o mesmo tom, sobre a importância das OABs em todo o Brasil, foi lido um texto envidado pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que pediu desculpas por não poder estar presente ao evento, por causa de compromisso já agendado anteriormente ao convite da OAB-SP.

As mulheres também tiveram forte presença no evento, como a juiza Maria Aparecida Pellegrina, presidente do TRT - Tribunal Regional do Trabalho – SP – 2 Região, Estefânia Ferreira de Souza Viveiros, presidente da OAB- Distrito Federal; e Kátia Lara Albuquerque , Presidente do TRT-Goiás. Segundo elas, uma justiça falha e lenta como a nossa, e que, na maioria das vezes, beneficia somente os ricos, não é justiça social, e às OABs cabe grande parte desse trabalho que é preciso ser feito. Todos os discursos foram entremeados, também em favor à democracia e dos direitos humanos, pelo mestre de cerimônias, Octávio Augusto Pereira de Queiroz Filho, presidente da CAASP.


Conheça a íntegra do discurso do presidente de Barueri:


"Colegas Advogados, Ilustríssimo Sr. Dr. Luís Flávio D’Urso, MD Presidente da OAB - Seccional São Paulo; Ilustríssima Sra. Dra. Estefânia Viveiros MD Presidente da OAB Seccional de Brasília; Excelentíssima Sra. Dra. Maria Aparecida Pelegrina Desembargadora Federal MD. Presidente do TRT 2°Região - São Paulo; Excelentíssima Sra. Dra. Kátia Albuquerque Desembargadora Federal MD. Presidente do TRT 18° Região – Goiás; Excelentíssimo Sr. Dr. Pedro Luiz Gagliardi MD Desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo; em nome de quem saudamos todas as autoridades do judiciário aqui presentes, Excelentíssimo Sr. Almirante Carlos Afonso Pierantoni MD Comandante da Marinha em São Paulo; Excelentíssimo Sr. General Antônio da Costa Burgos MD Comandante da 11° Brigada de Infantaria do Exercito, Senhores Promotores, Senhores Delegados de Polícia, minhas senhoras, meus senhores.

Sob a benção de Deus, espero com fé e esperança ter os meus passos guiados pôr ele, para cumprir com retidão e dignidade a missão que os meus pares a mim confiaram.

Como disse, no curso da nossa campanha parafraseando o poeta, "SONHAR É BOM, SONHAR ACORDADO É MELHOR AINDA, POIS ESCOLHEMOS O SONHO" todos sabemos que esta candidatura não me pertence, pertence a um grupo de amigos, que unidos pela esperança de ver nossa profissão valorizada e respeitada, partir então desta pequena Subsecção, juntamente com o apoio do nosso Presidente da OAB Seccional São Paulo - Dr. Luís Flávio D’Urso, que tanto já se dedicou a nossa querida OAB, para defender uma OAB forte, não pelo espirito de corpo, mas sim por sermos o plasma que viabiliza a convivência dos contrários, especialmente numa sociedade tão desigual e cheia de injustiças.

Mais uma vez afirmamos, que nossas promessas de campanha não se esgotaram com a eleição, ao contrário, passaram agora a ser compromissos.

Compromissos esses que, com o destemor dos bem intencionados, fé, dedicação e obstinação, esperamos realizar todos, sempre em perfeita consonância com o Presidente da nossa Seccional de São Paulo, Dr. Luís Flávio D’Urso.

Mais uma vez peço aos jovens que nos apoiaram, não nos abandonem, tenham e exerçam a liberdade de nos cobrar, de nos sugerir mudanças. Vocês são e serão a maioria em todos os segmentos desta nação. Oxigenem nossas idéias, para juntos buscarmos uma sociedade mais justa.

Devemos ter plena consciência da função institucional e social da Advocacia, para junto com os outros poderes constituídos, Executivo, Legislativo, e Judiciário, efetivamente prestarmos serviços aos jurisdicionados.

Se a Justiça é falha e lenta, não é Justiça, pois só beneficia os ricos e poderosos, aqui Sr. Presidente D’Urso, coloco-me ao seu dispor para unirmos forças e juntos melhorarmos as condições de trabalho, bem como pressionarmos a Procuradoria Geral na defesa de honorários não aviltantes, como os que são pagos aos colegas que exercem a Advocacia na Assistência Judiciária, uma das mais nobres, pois é justamente nela que os desfavorecidos buscam as soluções dos seus conflitos e interesses, acreditando ainda no Estado constituído, Estado este que, infelizmente muito tributa mas pouco devolve aos cidadãos.

Concordando com o nosso Presidente D’Urso, entendemos ser função institucional da Ordem pressionar para uma melhor reformulação do Estado, com a perspectiva da incorporação de mecanismos e sistemas capazes de garantir a consolidação da democracia e o aperfeiçoamento das estruturas e do aparato do Estado, prestando assim, uma efetiva assistência a todos os brasileiros, sejam eles de quaisquer classe, raça, religião, ou profissão, devem todos ter acesso garantido ao mínimo necessário para viverem com dignidade.

Com relação a nossa profissão, vamos sim, exigir a liberdade plena para o exercício do nosso mister, sempre dentro do real escopo do Estatuto da Advocacia, Lei N° 8.906/94, todos seremos incansáveis na luta pela nossas prerrogativas, não para o nosso beneficio próprio, nem por corporativismo, mas para podermos com altivez, respeito, e sem temor reverencial a nenhuma autoridade, defender os interesses dos nossos constituídos, praticando assim a democracia plena na sua própria exegese.

Também, em perfeita sintonia com os princípios que fundamentam o Estatuto da Advocacia, para sermos vigilantes e defensores das nossas prerrogativas, seremos com o mesmo vigor, vigilantes no comportamento ético, cobraremos sempre ética e decência dos nossos colegas, para assim, podermos engrandecer nossa profissão, desde já lhes asseguramos, não seremos lenientes com maus procedimentos.

Agradeço a minha mulher pela dedicação e apoio, que nunca me faltaram ao longo desses 32 anos de convivência, aos meus filhos, agradeço também, pela renovação de forças e esperanças que com o vigor da juventude me presentearam.

Obrigado a todos, que Deus nos ilumine."

Antônio Frederico Carvalheira de Mendonça