OAB SP DIVULGA NOTA DE REPÚDIO A ATENTADO TERRORISTA EM MADRI


12/03/2004

OAB SP DIVULGA NOTA DE REPÚDIO A ATO TERRORISTA EM MADRI

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso divulgou hoje (12/3) Nota Oficial repudiando o atentado terrorista ocorrido em Madri, ontem. Segundo ele, o terrorismo internacional vem se constituindo em um flagelo para a humanidade e – por isso mesmo - precisa ser combatido com uma ação cooperada entre Estados organizados de todo o mundo.

NOTA OFICIAL

A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECÇÃO SÃO PAULO, solidariza-se com o povo espanhol e repudia, com veemência , o ataque terrorista perpetrado contra vítimas civis indefesas na cidade de Madri (Espanha), no último dia 11 de março. Por suas dimensões - fazendo quase 200 mortos e mais de 1.400 feridos - esse atentado demonstra a amplitude das ações do terrorismo internacional, fenômeno que vem se constituindo em um flagelo para a humanidade.

O terrorismo, atualmente, não pode mais ser visto como uma série de atentados isolados, praticados por extremistas locais e desconhecidos, em defesa de uma causa política, econômica, social ou religiosa, com o intuito de dobrar o poder constituído. Ao contrário, é formado por células organizadas em uma base global, a exemplo do narcotráfico, que destrói de maneira cega e indiscriminada. É um ato de violência, desumano, bárbaro e covarde, que coloca em risco a segurança internacional.

O mundo nunca mais foi o mesmo depois de 11 de setembro e, certamente, sofrerá mutações, radicalizações e recrudescimento de posições, depois de 11 de março. As ações terroristas constituem uma ameaça à paz mundial, que precisa ser salvaguardada do medo, da morte e do potencial destrutivo do terrorismo internacional. Para preservar a civilização e as futuras gerações, urge uma reação conjunta dos Estados organizados de todo o mundo para dar um basta ao terrorismo, à tragédia e ao horror que ele perpetua. Os governos, juntamente com o Conselho de Segurança da ONU, precisam atuar de forma cooperada para fazer frente às suas ações violentas, propondo mecanismos jurídicos e de segurança, capazes detectar e impedir essa crescente ameaça, sem aviltar as liberdades e garantias legais de todos os povos.

Sem dúvida, o mundo se volta para a solidariedade e a comoção, neste primeiro momento da tragédia. Contudo, é fundamental que as autoridades espanholas se empenhem na identificação e punição dos reais responsáveis por esse bárbaro atentado, levando aos tribunais seus autores. A Espanha e o mundo não podem pagar esse preço exorbitante, da perda de centenas de vidas inocentes, sob o risco de a civilização mundial mergulhar em um novo período de trevas.


São Paulo, 12 de março de 2004


Luiz Flávio Borges D´Urso
Presidente da OAB SP