CONAD VAI ACOMPANHAR CASO DO JOGADOR ARGENTINO


14/04/2005

CONAD VAI ACOMPANHAR CASO DO JOGADOR ARGENTINO

A Comissão do Negro e Assuntos Antidiscriminatórios (Conad) da OAB SP vai acompanhar o caso envolvendo o jogador argentino Leandro Desabato, que teria chamado o jogador são-paulino, Grafite, de “ negro...” negrinho “ e outras ofensas, durante partida realizada ontem (13/4) no estádio do Morumbi. Desabato foi preso em flagrante e já passou por exame de corpo de delito.

No entender do presidente da Comissão do Negro, Marco Antonio Zito Alvarenga, o esporte mundial vem sendo atingido por uma onda de racismo. “ Registramos inúmeros casos de profissionais que atuam fora do País e, agora, até dentro de nossas fronteiras o racismo é evidenciado”, diz Zito Alvarenga, que está acompanhando o caso no 34 DP da Vila Sônia.

Para Zito, as ofensas podem ser qualificadas como crime de injúria racial, que depende de representação da vítma ou crime de racismo, inafiançável e imprescritível pela Constituição Brasileira. “ A liberação do jogador argentino só se dará com autorização de um juiz de Direito”, diz Zito, lembrando que os advogados do jogador já entraram com pedido de habeas corpus. Para o presidente a Comissão do Negro, o Quilmes, clube do jogador, também pode ser acionado através de ação civil por dano, uma vez que seu empregado praticou ofensa grave de ampla repercussão. “ Na Europa, os clubes têm sido penalizados com multas pesadas e perda do mando de jogo, mas o racismo é expressado, principalmente, pela torcida ”, avalia Zito.

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso pondera que a Ordem dos Advogados do Brasil já firmou posição institucional contra o racismo. “ Precisamos conscientizar as vítimas de seus direitos constitucionais e reforçar que a intolerância deve ser tratada na forma da lei, sem contemporizações”, afirma D´Urso. Para Zito Alvarenga, está na hora “ de todas as culturas reconheçam a contribuição do povo negro para a construção de um mundo mais justo”.

Mais informações na Assessoria de Imprensa da OAB SP, pelos telefones 3291-8175/82.