Approbato é condecorado com a Ordem do Ipiranga


17/11/2006

O diretor da ESA ficou comovido com a honraria recebida.

 

O diretor da Escola Superior de Advocacia (ESA), conselheiro federal emérito  e membro nato da OAB, Rubens Approbato Machado, recebeu na última terça-feira (14/11), no Palácio dos Bandeirantes, a Ordem do Ipiranga, entregue pelo governador Cláudio Lembo. Celso Limongi e Caio Eduardo Canguçú de Almeida, presidente e vice-presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, respectivamente; Rodrigo César Rebello Pinho, procurador-geral da Justiça de São Paulo; e Gilberto Passos de Freitas, corregedor-geral de Justiça também foram condecorados na mesma ocasião.

 

Em discurso de agradecimento, Approbato Machado descreveu sua comoção com a distinção e a responsabilidade de ser  orador da cerimônia. “Não me dêem um fardo maior que aquele que os meus ombros podem suportar, pois poderei desmoronar no meio do caminho. Esta é a sensação que tenho neste momento, ante a tarefa a mim confiada de expressar os agradecimentos  pela outorga do mais alto galardão do Estado de São Paulo, a Grã Cruz da Ordem do Ipiranga”, disse.

 

Para Approbato Machado, essa homenagem, na verdade, é feita a todos os advogados. “Interpreto a homenagem que recebo como o reconhecimento à classe dos advogados, que escreveu algumas das mais belas páginas do civismo de nossa história. Basta lembrar alguns momentos que contaram com o entusiasmo e a liderança dos advogados: a Independência, a primeira Constituição, a lei Áurea, a Proclamação da República; a questão das fronteiras nacionais; as Constituições de 1926, 1934 e 1946, que garantiram a assistência judiciária aos pobres, o mandado de segurança, o direito de greve e direitos trabalhistas”, destacou Approbato.

 

O diretor da ESA lembrou também dos ilustres nomes do Direito e das Letras, que assinaram as páginas libertárias e democráticas de história brasileira. Entre eles, citou José Bonifácio de Andrada e Silva, Joaquim Nabuco, Barão do Rio Branco, Castro Alves, Rui Barbosa, alguns saídos dos bancos da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco.“Basta lembrar as bandeiras da nacionalidade, levantadas por grandes vultos do Direito, que passaram, a partir de 1930, para as mãos de uma entidade que esteve no centro dos grandes movimentos, ao longo dos últimos 60 anos: a OAB”.

 

Rubens Approbato Machado manifestou ainda satisfação em ver magistrados, promotores e advogados reunidos para celebrar a integração do Poder Executivo com os Operadores do Direito. “Todos os esforços devem ser empreendidos para fortalecermos a união da família judiciária, congregando membros da Magistratura, Ministério Público, Advocacia e servidores, que certamente redundará em instrumentos processuais, funcionais, humanos e técnicos capazes de tornar a justiça mais ágil e para que sejam alcançadas as metas ansiadas pela sociedade e garantidas pela Constituição”, destacou.

 

A Ordem do Ipiranga é a mais elevada honraria concedida pelo Estado a autoridades do Judiciário paulista. Ela distingue cidadãos, brasileiros ou não, por seus méritos pessoais e serviços prestados ao Estado e a sociedade paulista. A honraria foi criada em 1969 e possui cinco graus clássicos das ordens honoríficas: Grã-Cruz, Grande-Oficial, Comendador, Oficial e Cavaleiro. Ela evoca o Grito do Ipiranga já que o lema da Ordem é a frase “Independência ou Morte”, dita por Dom Pedro I, às margens do Ipiranga.