ELEIÇÃO TRANSCORRE EM CLIMA DE TRANQUILIDADE


01/12/2006

A maior eleição da OAB SP disponbilizou 628 urnas eletrônicas e 429 urnas de lona.

Sem registrar incidentes, a OAB SP realizou, nesta quinta-feira (30/11), a maior eleição da sua história, mobilizando um colégio eleitoral de 199.036 advogados ativos, um contingente 75% maior que da última eleição, realizada três anos atrás, quando 113.620 advogados elegeram os dirigentes da OAB-SP para o triênio 2004-2006. Somente na capital eram esperados 95.465 advogados, distribuídos por  197 seções eleitorais, instaladas em prédios da Faculdade de Direito da USP, FMU, Uninove e Unip, além de 11 Subsecções, em bairros da capital.

Durante todo o dia, a região do  centro de São Paulo, que concentra um grande número de faculdades de Direito, testemunhou a afluência de advogados aos pontos de votação para eleger os dirigentes da entidade para o triênio 2007-2009. Quatro chapas concorreram ao pleito e mobilizaram fiscais nas seções eleitorais.

O prédio da Faculdade de Direito da USP, no Largo São Francisco, concentrou os principais representantes das chapas que lideraram a disputa, de Luiz Flávio Borges D´Urso e de Rui Celso Reali Fragoso, que abordavam os eleitores e colegas.  Este local também foi o que  concentrou a cobertura da mídia por reunir os mais antigos e alguns dos mais representativos  advogados do Estado .

No prédio da Uninove, a concentração maior de eleitores aconteceu no horário do almoço e no final do horário de votação. No prédio da Unip, com votação do 4º ao 8º andares, o acesso foi mais tranqüilo, com uso de elevadores e escadas rolantes. Nos três prédios da FMU, na avenida Liberdade, rua Fagundes e rua Taguá, a votação também transcorreu sem incidentes. A movimentação foi constante no período da manhã e muito intensa à tarde, porém sem apresentar problemas. Apesar do movimento, as filas eram pequenas. No prédio da avenida Liberdade, onde quase 58 mil eleitores estavam inscritos, a espera era um pouco maior. Nas três unidades, os advogados procuravam, com tranqüilidade, a sala de votação em painéis colocados em locais estratégicos ou recebiam ajuda de voluntários e funcionários da OAB-SP que localizavam a seção correta do eleitor em listas divulgadas pela Ordem. Três candidatos - Rui Fragoso, Clodoaldo Pacce e Leandro Pinto - votaram na FMU.

Foram utilizadas 628 urnas eletrônicas, além das suplementares, cedidas pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, para escolha da Diretoria e Conselho da Seccional e 429 urnas de lona, para voto em cédula de papel, para escolha das diretorias das 217 Subsecções. No pleito, além dos presidentes e diretores seccionais, foram eleitos também os três conselheiros federais, que representarão a OAB-SP no Conselho Federal. Esses conselheiros vão compor o Conselho de 81 novos conselheiros federais das 27 Seccionais da OAB, que - no dia 31 de janeiro próximo – irão escolher o sucessor do presidente nacional da entidade máxima dos advogados, Roberto Busato.