OAB SP PRESTIGIA POSSE DO NOVO SUPERINTENDENTE DA PF


29/06/2007

Jaber Saadi , 67 anos,é o novo superintendente regional da Polícia Federal em São Paulo.


 

Durante a posse do novo superintendente regional da PF em São Paulo, Jaber Saadi, o  presidente da OAB-SP - Luiz Flávio Borges D’Urso – defendeu  a manutenção do poder de investigação da Polícia judiciária dentro dos limites legais e constitucionais. “A pretensão do Ministério Público de deter o poder de investigação criminal é inconstitucional, já que é parte no processo, não lhe foi conferido tal poder pela lei . O MP carece de isenção que se verifica presente na Polícia e na Magistratura. O sistema hoje vigente é de equilíbrio e deve ser aperfeiçoado e não subvertido”, diz D’Urso, ressaltando a importância de poder contar com a experiência de Jaber Saadi no comando do PF em São Paulo. A posse foi prestigiada pelo diretor da PF, Paulo Lacerda.

 

Com 67 anos, Jaber Saadi é mais antigo delegado dos quadros da Polícia Federal, onde ingressou há 35 anos, no primeiro concurso para agente da PF (1972). Paulistano do Bosque da Saúde, Saadi formou-se em Direito pela Universidade de Guarulhos, ocasião em que tinha uma indústria de embalagens. Iniciou a carreira como policial em São Paulo, mas em menos de dois anos já iniciava sua trajetória como delegado federal, ou inspetor, como era chamado na época. É um entusiasta das operações, tendo comandado as ações Dilúvio, Tentáculos, Ícaro, Zapata, Asfalto Limpo, Chacal, Anos Dourados, Hidra e Farol da Colina.

O presidente da OAB SP já conhecia Saad desde quando ele  trabalhou em São Paulo e destaca como característica marcante do novo superintendente a serenidade e o diálogo aberto com todos os setores da sociedade.  Em sua trajetória na PF, Saadi foi designado para postos de delegado, coordenador, interventor ou superintendente em Manaus, Santos, Porto Alegre, Foz do Iguaçu, Espírito Santo, São Paulo e Paraná, de onde atuou nos últimos cinco anos. Conforme o superintendente, “foi na capital paulista que desenvolveu um de seus serviços mais marcantes - a reorganização do sistema de fiscalização da segurança privada”. No Paraná, criou uma força-tarefa entre órgãos de segurança e fiscalização estaduais e federais para agir contra criminalidade, sobretudo as quadrilhas de lavagem de dinheiro, assaltantes, contrabando, tráfico de entorpecentes, crimes virtuais e evasão de divisas.

Orgulhoso do trabalho da PF, Saadi ressalta os grandes avanços da instituição nas últimas décadas, que conquistou o reconhecimento da sociedade e da mídia, através do trabalho científico de investigação de inteligência e o controle mais rígido de fronteiras, portos e aeroportos brasileiros. Saadi defende o aperfeiçoamento da legislação sobre grampo telefônico, editando normas para a conduta dos agentes públicos, além de criar regras para compatibilizar os avanços tecnológicos com os mecanismos legais.