ESA CONQUISTA RECREDENCIAMENTO POR MAIS CINCO ANOS


14/02/2008

Por meio da Portaria 29/2008, o Conselho Estadual de Educação (CEE) recredenciou a Escola Superior de Advocacia (ESA), mantida pela OAB-SP, por mais cinco anos para exercer suas atividades educacionais, voltadas ao aprimoramento de profissional e cultural de advogados, estagiários e bacharéis em Direito

 

 A decisão do CEE atende ao requerimento, assinado pelo  estão diretor da ESA e atual presidente do Conselho Curador e membro honorário vitalício do Conselho Federal da OAB  – Rubens Approbato Machado – solicitando a renovação de credenciamento, como determinam as Deliberações 5 e 9 de 1998 e 1 e 3 de 200 do CEE. " Essa decisão do Conselho referenda o ensino de qualidade prestado pela ESA", comenta Approbato.

 

Para a diretora da ESA, Eunice Aparecida de Jesus Prudente, este recredenciamento é um reconhecimento ao trabalho que a Escola vem fazendo, que mantém cursos de extensão universitária e pós-graduação . “ A ESA vem demonstrando ter uma proposta revolucionária no âmbito da advocacia, tanto que os cursos que elabora são logo copiados pelo mercado, como é o caso do Direito do Entretenimento. Hoje é impossível advogar sem estudar.  A ESA oferece cursos de alto nível, cobrando preços módicos aos advogados e remunerando adequadamente os professores”, destaca Prudente.

 

O recredenciamento é  um procedimento de praxe, porém muito importante,  devendo ser requerido no ano anterior ao término de seu prazo de vigência, acompanhado de um relatório analítico com o histórico da instituição, finalidades, organização acadêmica, forma de gestão, capacidade financeira, do corpo docente, infra-estrutura e a grade de cursos oferecidos.

 

A ESA foi fundada em abril de 1998 com o escopo de manter o aperfeiçoamento constante e a valorização dos advogados e dos serviços por eles prestados à sociedade. “Ela preenche um vácuo que existia no mercado”, ressalta o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, frisando que “o aprendizado contínuo é a única forma de enfrentar o desafio de um mundo em transformação no qual as relações sociais se tornam cada vez mais complexas, e onde surgem constantemente novos campos do saber jurídico”.