COMISSÃO PROMOVE PALESTRA SOBRE O JULGAMENTO DE CRISTO


09/04/2008

O evento é promovido pela Comissão de Resgate da Memória da OAB SP, no dia 16 de abril, às 19 horas, no salão nobre.

Apesar das poucas informações que temos da maior parte da vida de Jesus Cristo, o julgamento da personalidade mais influente da história da humanidade, narrado em detalhes por apóstolos e em filmes e livros, é considerado por estudiosos como um absurdo jurídico, levando-se em conta as leis que regiam o Império Romano e a Judéia naquela época.

O julgamento de Jesus foi sumaríssimo. Levado na mesma noite em que foi preso à corte do Sinédrio, o grande tribunal dos anciãos, Caifás, o sumo sacerdote judeu que presidiu o primeiro julgamento de Cristo, acusou-o de blasfemo. Crime punido com a morte. Se fosse seguida a lei mosaica, Ele seria lapidado. Os romanos encarregados de aplicar o ius gladii, preferiam a crucificação.

A população que acompanhou o calvário de Cristo teve a oportunidade de salvar um condenado e, entre Barrabás e Cristo, preferiu o primeiro.

Para discutir o tema, a Comissão de Resgate da Memória da OAB SP promove a palestra “O Julgamento de Cristo”, no dia 16 de abril, às 19 horas, no Salão Nobre da Ordem (Praça da Sé, 385, 1º andar). Vinícios Leôncio, advogado tributarista, militante em Direito Tributário e Direito Penal Tributário em Belo Horizonte e São Paulo, e ex-professor de Contabilidade e Direito Tributário, será o palestrante.

 

As inscrições devem ser feitas na sede da entidade ou pelo site www.oabsp.org.br, mediante a doação de uma lata de leite em pó integral.