DIA DO PROFESSOR CHAMA PARA A REFLEXÃO


15/10/2008

Um professor sempre afeta seu aluno, porque jamais saberá onde sua influência termina. Esse raciocínio do educador e escritor Henry Adams (1838-1918), pode ser complementado com a definição da educadora Maria Montessori (1870-1952) para quem a primeira idéia que uma criança precisa assimilar é a diferença entre bem e mal. E a principal função do educador será cuidar para que a criança não confunda o bem com a passividade e o mal com a atividade, uma lição que vale para toda a vida. Ambos os casos traduzem, na sua essência, a dimensão da importância de um mestre na vida de uma pessoa, desde a infância ao seu derradeiro momento.

 Cristaliza-se, assim, que o processo educacional é uma das atividades mais significativas realizadas pelo ser humano. É imprescindível que se reconheça e se valorize a profissão. Temos nela a chave-mestra que abre um mundo de realizações durante toda uma vida. Em nosso país esse reconhecimento está muito aquém do necessário, sobretudo, por parte de alguns de  nossos governantes, que ainda não se deram conta da verdade exposta na assertiva de Adams. Nesse contexto, o Dia do Professor representa não apenas uma data para comemorar, mas também um momento de reflexão  sobre o papel do educador na sociedade brasileira atual.

Uma viagem pela história da educação no Brasil, revela que muito pouco mudou desde os tempos coloniais ao quase final do primeiro decênio do século 21. Houve, neste período de quase 500 anos uma sucessão de avanços e retrocessos, num cenário sempre marcado pelo descuido de nossas autoridades que faz do nosso professor um profissional heróico e dedicado.

Pouco se fez, desde então, para mudar a sina de um país que ignora a importância de se investir na educação e no aprimoramento e remuneração digna dos professores. Falamos em ensino público de qualidade, universal, acessível a todos os cidadãos independentemente da classe social. Precisa-se pensar no professor de forma macro, ampla e democrática. Está na hora de reconhecer a importância do professor na vida do País e na influência que ele exerce na vida de cada pessoa. É a necessária reflexão que esse dia enseja.

Desejo parabenizar, em especial, os professores dos Cursos jurídicos, abnegados educadores de formação humanística, a transformar jovens em operadores do Direito, pela via do amor.

Parabéns e obrigado, professor!!

       

        São Paulo, 15 de outubro de 2008.

        

         Luiz Flávio Borges D’Urso

         Presidente da OAB SP