OAB SP E MOVIMENTO DA PAZ E JUSTIÇA IVES OTA LANÇAM CAMPANHA PELO DIA NACIONAL DO PERDÃO


10/09/2009

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, assinou nesta quinta-feira (10/9), às 15h30, na sede da Ordem, um termo de parceria com o Movimento da Paz e Justiça Ives Ota, representado por seu presidente Masataka Ota para instituir a Campanha pelo Dia Nacional do Perdão.
 

“ Para se decretar uma lei no nosso país, precisa do apoio do povo. Aqui no Brasil tem dia das mães,  dia da secretária, dia das mães,  dia dos advogados, mas não tem dia do perdão”, explica Masataka Ota, que pretende junto com a OAB SP reunir milhões de assinaturas de apoio.

O Movimento leva o nome do menino de 8 anos, Ives Ota, seqüestrado e assassinado em agosto de 1997. Naquele mesmo ano, o pai Ives, Masataka Ota, fundou o movimento, com o objetivo filantrópico de ajudar os menos favorecidos e de propagar o perdão.

“ A proposta de Masataka Ota tem de ser incentivada, porque demonstrou uma nova postura diante de uma tragédia dolorosa. Agora , a OAB SP e o Movimento da Paz e Justiça Ives Ota se irmanam na busca e ampliação de um Dia Nacional do Perdão”, diz o  presidente da OAB SP.

 O apoio foi selado entre o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, e Masataka Ota, em março desse ano,  e agora foi oficializado. A iniciativa contou com o apoio da conselheira e diretora adjunta da Mulher Advogada, Tallulah Kobayashi de Andrade Carvalho, que considera a iniciativa positiva porque cria um dia do perdão, que está presente em várias culturas. Na assinatura também esteve presente a advogada Eliana Custódio Maffei Dardis, coordenadora da Campanha.

“ Quando estive frente a frente com o assassino do meu filho e perdoei, tirei todo ódio, que não me  deixava  dormir,  não deixava que eu  ficasse bem com a família, comigo mesmo. O ódio  mata, dá câncer . Por isso tudo estou empenhado em fazer uma campanha pelo perdão”, explica Masataka.

O Movimento também promove a peça “O Poder do Perdão”, que  conta a história do Ives, encenada por atores profissionais, que teve estréia no ano passado e hoje é encenada em vários teatros da capital e pretende ir para uma turnê no Interior. “ Enfoca só um pouco a tragédia , mas enfoca a superação, amor, perdão. Perdoar não é fácil é uma prática que queremos passar . Se a gente começar a fazer uma prática da oração do perdão, vai vendo o outro mais iluminado”, diz Iolanda Keiko Ota, mãe de Ives.

 

A adesão ao abaixo-assinado de apoio à criação do Dia Nacional do Perdão pode ser feita também eletronicamente no site www.ivesota.org.br.