D´URSO APÓIA EXIGÊNCIA DO EXAME DE ORDEM PARA NOVOS DELEGADOS


08/10/2009

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, apóia a proposta prevista dentro do anteprojeto da cúpula da Polícia Civil, de exigir atestado de aprovação no Exame de Ordem para a contratação de novos delegados. “Sem dúvida, a adoção do critério de aprovação no Exame de Ordem qualificará melhor esses profissionais e será um viés de estímulo para que eles estudem e se aprimorem ainda mais”, ressalta D´Urso.

Para o presidente da OAB SP, o Exame de Ordem convive com o mito de que é difícil, quando na verdade, é criterioso. “É a má qualidade do ensino jurídico que  se reflete diretamente no índice de reprovação de inscritos nos exames da OAB. Por isso, não recuo um milímetro na formatação atual  do Exame, que deve ser mantido como está, servindo para avaliar se o bacharel reúne condições mínimas para atuar como advogado. O índice de reprovação apenas reitera a absoluta necessidade de sua manutenção”, avalia D´Urso.

 

 No entender  do presidente da Seccional Paulista o critério escolhido pela cúpula da Polícia Civil é uma homenagem à OAB SP e  ao   Exame de Ordem, que poderia ser adotado também pela Magistratura e  pelo Ministério Público, que exigem para o bacharel que presta seus concursos de ingresso apenas   3 anos de prática jurídica. “Temos certeza de que essa proposta, se aplicada, terá efeitos benéficos nos serviços prestados pelos operadores do Direito e pelos delegados”, afirma D´Urso.

 

A proposta de adoção do Exame de Ordem para novos delegados  integra o  anteprojeto de reestruturação da Polícia Civil e está sendo analisado pelo governo Serra, devendo seguir posteriormente para a Assembléia Legislativa do Estado.