D´URSO LAMENTA MORTE DE ARMANDO NOGUEIRA


30/03/2010

“A importância de Armando Nogueira para o jornalismo brasileiro é inconteste. Perdemos um grande profissional que transformou a forma de fazer notícia na televisão brasileira, com o lançamento do Jornal Nacional, dando mais dinamismo, objetividade e modernidade ao telejornalismo”, afirmou o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, ao saber da morte do jornalista Armando Nogueira, aos 83 anos, vítima de câncer, nessa segunda-feira (29/3), no Rio de Janeiro.

Armando Nogueira  nasceu em Xapuri, no Acre, em 1927 e mudou-se para o Rio de Janeiro em 1944. A carreira no jornalismo começou no Diário Carioca, passou pela revistas Manchete e O Cruzeiro, Jornal do Brasil até iniciar sua trajetória no telejornalismo, em 1959, na extinta TV Rio. Em 1966 foi contratado pela Rede Globo, onde ocupou o cargo de diretor da Central Globo de Jornalismo até 1990.

A partir daí dedicou-se  a uma grande paixão – o  jornalismo esportivo, tornando-se um dos melhores cronistas esportivos do país e onde pode expressar sua vasta cultura. Armando Nogueira esteve em todas as copas do mundo desde 1954, escreveu vários livros sobre futebol e atualmente apresentava o programa Papo com Armando Nogueira, no SporTV, e participava de programas na rádio CBN.

O corpo do jornalista foi velado na tribuna de honra do Maracanã e será enterrado nesta terça-feira (30/3), às 12h, no Cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro. Os governos do Estado e municipal do Rio de Janeiro decretaram luto oficial por três dias.