OAB SP DECRETA LUTO DE TRÊS DIAS PELA MORTE DE GERALDO VIDIGAL


30/08/2010

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D’Urso decretou luto por três dias em todas as unidades da Seccional Paulista pela morte do jurista Geraldo de Camargo Vidigal, aos 88 anos, neste domingo (29/8), em São Paulo. “ Foi com profundo pesar que recebi a notícia do falecimento do professor Geraldo Vidigal. Seu trabalho e pioneirismo no Direito Econômico são reconhecidos pelas comunidades acadêmica e jurídica do Brasil. Notabilizou-se como advogado, parecerista, democrata e poeta, facetas de um mesmo homem de grande cultura e estatura moral”, afirmou D’Urso. O velório será nesta segunda-feira (30/8), no salão nobre da Faculdade de Direito do Largo São Francisco e o enterro às 16 horas no Cemitério da Consolação.

 

Graduado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, turma de 1945 , tornou-se professor catedrático  da mesma instituição, tendo sido precursor na introdução  do Direito Econômico no Brasil . Foi conselheiro seccional da OAB SP.

“ O Direito brasileiro perde um de seus juristas mais importantes, uma referência , que deixa uma contribuição valiosa para as futuras gerações”, afirmou o vice-presidente da OAB SP e presidente da Comissão de Assuntos do Judiciário, Marcos da Costa.

Geraldo Vidigal teve intensa atuação jurídica como advogado militante, parecerista, palestrante e professor. Presidiu o Instituto dos Advogados de São Paulo e deixou uma vasta obra em Direito Econômico e  Direito financeiro . Também se dedicou à literatura e foi membro da Academia Paulista de Letras. Presidiu a Serasa e foi  consultor geral da Febraban.

 Uma das passagens de sua vida, à qual gostava de fazer referência,  foi sua participação, ainda  enquanto estudante de Direito,  na chamada resistência acadêmica  contra a perpetuação de Vargas no poder . Por essa posição foi castigado pelo caudilho ao ser convocado para servir como pracinha no Regimento de Infantaria, na Itália, durante a II Grande Guerra. Isso adiou sua graduação.