TREZE MULHERES RECEBEM O PRÊMIO MARIA IMMACULADA XAVIER DA SILVEIRA DA OAB SP


10/09/2010

Em sua terceira edição, o prêmio Maria Immaculada Xavier da Silveira, da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP, foi entregue a 13 mulheres de carreira jurídica – advogadas, ministras, magistradas, promotoras e delegadas - nessa quinta-feira (9/9), às 19h30, na Câmara Municipal de São Paulo.

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D’Urso, e a presidente da Comissão da Mulher Advogada, Fabíola Marques, fizeram a entrega do prêmio e de flores às premiadas.  “ Tive uma emoção em dobro, primeiro por ter tido a honra de ser premiada na primeira edição do Maria Immaculada e por estar, agora, entregando esse prêmio a mulheres tão importantes”, afirmou Fabiola.

A secretária-geral adjunta do Conselho Federal OAB, Márcia Regina Machado Melaré, uma das premiadas,  falou em nome de todas as demais: “ Essas mulheres fazem a diferença pelo seu talento, competência, dignidade e pelo seu pioneirismo em diversos postos de comando. Mulheres que quebram paradigmas, que assumem papel de protagonistas,  que não fogem do enfrentamento da discussão dos grandes temas de reafirmação da cidadania e direitos humanos. É justa, portanto, a homenagem que a OAB SP presta a essas mulheres da carreira jurídica que tanto contribuem para organização e mobilização da sociedade civil”, ressaltou.

Em seu discurso, Melará ressaltou o caso da iraniana Sakineh Mohamadi Ashtiani, condenada à morte por apedrejamento em seu país. “ Ainda que hoje tenhamos notícia que sua execução foi adiada. A morte de uma mulher nessa situação é  uma afronta aos direitos humanos e deve ser rechaçada mundialmente. Após tanto desenvolvimento, nenhum orgulho existirá  à causa feminina quando existirem mulheres  subjugadas à morte por apedrejamento, violentadas por seus próprios parentes e brutalizadas. Relatório da Anistia Internacional aponta que uma em cada 3 mulheres do planeta  (1 bilhão), sofre algum tipo de agressão física ou psicológica. Por isso, mulheres, a nossa luta ainda é atual e diária”, enfatizou.  Emocionada, Melará conclui: “ Parabéns  a todas. Mulheres advogadas,  com nossos valores vamos alterar errôneos conceitos de gênero”.

“ As premiadas são valorosas mulheres, com uma trajetória de trabalho que merece ser alvo de destaque, exemplo para todas as mulheres.  Maria Immaculada foi a primeira mulher a cursar uma faculdade de Direito e a primeira a se inscrever na OAB SP, com o número 615. Isso  em 1932, quando  o voto feminino foi estabelecido no Brasil. E essa luta de uma mulher solitária, que foi buscar uma vaga, se formou , se inscreveu  na OAB SP  e exerceu a advocacia, uma pioneira, uma corajosa e dá nome ao prêmio da OAB SP para outras mulheres de nosso tempo, igualmente pioneiras e valorosas”, disse D’Urso.

Para D’Urso , as palavras de  Márcia trouxeram o sentimento  de todas  as homenageadas e também dos homens presentes. “ Não há mais espaço para assistirmos nos dias de hoje homens que agridem mulheres, sociedades que subjugam mulheres. Não deve haver mais espaço para  discriminação, preconceito e intolerância. Essas mulheres estão sendo homenageadas pelo seu trabalho, a demonstrar às outras gerações, de homens e mulheres, que somos um único povo voltado no sentido de concretizar a justiça que sonhamos”, comentou.

Segundo Fabíola Marques, o  critério para a escolha  das premiadas recaiu sobre  mulheres da carreira jurídica com um trabalho destacado, que tiveram  resultados positivos, que representasse todas as áreas: Advocacia, Magistratura, Ministério Público  e Delegadas.

Além de conselheiros, presidentes de Subsecções e Comissões, também estiveram presentes ao prêmio o presidente da CAASP, Fábio Romeu Canton Filho; o vice-presidente da OAB SP, Marcos da Costa, o secretário-geral , Sidney Bortolato Alves; a presidente do IASP, Ivertte Senise Ferreira; o desembargador  do TJ-SP, Antonio Luiz Pires Neto; o juiz militar Paulo Casseb, o vice-presidente e o secretário geral da CAASP, Arnor Gomes da Silva Júnior e Sergei Cobra Arbex, respectivamente;   o diretor cultural, Umberto D’Urso; o presidente do TED, Carlos Roberto Mateucci , entre outras autoridades. Ao final do evento, o Coral da OAB SP  fez uma apresentação, sob regência do maestro José Antunes, e foi servido um coquetel.

CONHEÇA  AS PREMIADAS

1.Eloisa de Sousa Arruda – diretora da Escola Superior do Ministério Público

2. Flávia Cristina Piovesan – procuradora do Estado e autora de vários livros

3. Silvia Carlos da Silva Pimentel – advogada, coordena pesquisa  do Comitê Latino Americano e do Caribe Para a Defesa dos Direitos da Mulher e membro do Comitê pela Eliminação da Discriminação contra a Mulher da Organização das Nações Unidas (CEDAW/ONU).

4. Rosmary Corrêa – delegada aposentada e presidente do Conselho Estadual da Condição Feminina

5. Elisabeth Massuno – Delegada de Polícia da Divisão de Prevenção e Educação do DENARC

6. Ritsuko Tomioka –advogada

 7. Maria Aparecida Pellegrina – desembargadora do TRT-2 e ex-presidente do Tribunal

8. Maria Thereza Rocha de Assis Moura – ministra do Superior Tribunal de Justiça

 9. Márcia Regina Machado Melaré – secretária-geral  adjunta do Conselho Federal da OAB

 10. Marli Ferreira, desembargadora do TRF-3 e ex-presidente do Tribunal

11. Eunice Aparecida de Jesus Prudente – advogada e ex-Secretária Estadual de Justiça e Cidadania

12. Maria Cristina Zucchi, desembargadora do TJ-SP

13. Tallulah Kobayashi de Andrade Carvalho  - conselheira federal  da OAB e diretora adjunta OAB SP