OAB SP QUER OBRAS DE GIL VICENTE FORA DA BIENAL DE SÃO PAULO


18/09/2010

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, divulgou Nota Pública, nesta sexta-feira (17/9), na qual explica que oficiou aos curadores da Bienal de São Paulo, Moacir dos Anjos e Agnaldo Farias, expondo os motivos pelos quais é contra a exposição da série “Inimigos”, do artista plástico Gil Vicente, por fazer apologia ao crime.

                           NOTA PÚBLICA

Uma obra de arte, embora livremente e sem limites expresse a criatividade do seu autor, deve ter determinados limites para sua exposição pública. Um deles é não fazer apologia ao crime, como estabelece a vedação inscrita no Código Penal Brasileiro.

A série de quadros denominada “Inimigos”, do artista plástico Gil Vicente, é composta por obras as quais retratam, dentre outras, o autor atirando contra a cabeça do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, noutra mostra o mesmo autor, de posse de uma faca, degolando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Essas obras, mais do que revelar o desprezo do autor pelas figuras humanas que retrata como suas vítimas, demonstra um desrespeito pelas instituições que tais pessoas representam, como também o desprezo pelo poder instituído, incitando ao crime e à violência.

Certamente, não se pode impedir que uma obra seja criada, mas se deve impedir que seja exposta à sociedade em espaço público se tal obra afronta a paz social, o estado de direito e a democracia, principalmente quando pela obra, em tese, se faz apologia de crime.

Por esse motivo é que a OAB SP está oficiando os curadores da Bienal de São Paulo, para que essas obras de Gil Vicente, da série "Inimigos" não sejam expostas naquela importante mostra.


                                           São Paulo, 17 de setembro de 2010

Luiz Flávio Borges D´Urso

Presidente da OAB SP