OAB SP APROVA DESAGRAVO PARA DIRETORIA DA SUBSECÇÃO DE JALES


20/09/2010

Por proposta do presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D’Urso, o Conselho Seccional aprovou por unanimidade nessa segunda-feira (20/9), "de ofício", Desagravo Público para o presidente e Diretoria da Subsecção de Jales e para o conselheiro local, Carlos Alberto Expedito de Britto, todos ofendidos pelo Procurador da República em Jales, Thiago Lacerda Nobre.

Os conflitos entre a Advocacia de Jales e o procurador começaram  quando este determinou à Subsecção da Jales que tomasse providências sobre suposta cobrança abusiva de honorários praticada  por advogados daquela comarca. A Subsecção de Jales e a Seccional,   na ocasião, esclareceram  que a cobrança de honorários é pactuada no âmbito particular dos contratantes. E caso, exista alguma irregularidade que  esta seja encaminhada ao Tribunal de Ética e Disciplina, único órgão competente para examinar a conduta ética de um advogado no exercício profissional e punir, se for o caso. “ Não podemos aceitar que o Procurador da República promova ameaças aos dirigentes da Subsecção de Jales, nem tome  medidas tentando estabelecer parâmetros na cobrança de honorários oriundos de pacto entre o  advogado e cliente”, critica o presidente D’Urso.

O presidente da Comissão de Direito e Prerrogativas da OAB SP, Antonio Ruiz Filho, pontua que o Procurador da República em Jales tem tido iniciativas consideradas ilegais e abusivas pela advocacia, inclusive requisitando informações sigilosas que tramitam no TED da  OAB SP, que somente poderia ser divulgadas por ordem judicial. “ Dessa forma, o Desagravo Público é o instrumento legal para fazer uma reparação moral  aos advogados no exercício profissional  e em  razão do cargo  na OAB , além de  reafirmar as prerrogativas profissionais da classe “, explica Ruiz,  presente na sessão do Conselho, que reuniu 120 conselheiros, e deliberou pelo Desagravo.