OAB SP E BARREAU DE PARIS AMPLIAM PARCERIA E DEFENDEM FORTALECIMENTO DA ADVOCACIA


07/02/2011

O presidente da Ordem dos Advogados de Paris , Jean Castelain, visitou a sede da OAB SP nesta quinta-feira (4/2), quando foi recebido pelo presidente da Seccional, Luiz Flávio Borges D’Urso, e demais diretores da entidades, reunindo-se também com os conselheiros secionais .Assinou o Termo de continuidade da Convenção de Cooperação entre a OAB SP e o Barreau de Paris e recebeu uma Láurea de Homenagem pelos relevantes serviços prestados à advocacia.

“O que estamos verificando com os protocolos internacionais que a OAB SP tem celebrado é que  os desafios  e as dificuldades enfrentadas pelos colegas franceses são semelhantes às dos advogados brasileiros. Há uma mobilização, uma orquestração contra a advocacia criando problemas para o cidadão. É por isso que nós precisamos nos fortalecer”, alertou D´Urso.

Para o presidente da OAB SP,  quanto mais aumenta a criminalidade e terrorismo no mundo,  mais se prega a redução da atuação do advogado para vencer esses problemas. “ Isso não faz o mínimo sentido. Ao contrário, o advogado é quem garante que as injustiças não sejam praticadas. Por isso, tentar quebrar o sigilo profissional do advogado,  tentar flexibilizar suas prerrogativas profissionais e restringir a atuação do advogado em qualquer lugar do mundo é uma violação”, ressaltou.

 D’Urso lembrou que as iniciativas da Ordem Francesa de se mobilizar em prol dos advogados   que sofrem restrições por parte de governos autoritários, em todo o mundo, é importante. “Este tipo de acontecimento deve nos unir, não importa a língua que falamos, não importa o chão da nação que nos brinda com a vida, mas temos de ter um propósito universal, a advocacia se fortalece em cada pacto que celebramos, especialmente estes pactos políticos de uma interação, troca experiências, intercâmbio cultural e compromisso de defender os ideais da advocacia e as prerrogativas dos advogados, onde quer que estejamos no planeta”, garantiu.

Jean Castelain ressaltou que são comuns os valores  defendidos pela Ordem dos Advogados do Brasil e pela Ordem dos Advogados de Paris: “ Os desafios são similares, são idênticos, quando se comparam os advogados de Paris e do Brasil, não apenas em questões fundamentais, como  direitos,  cidadania, garantias , democracia. e prerrogativas profissionais. Os advogados também estão trabalhando cada vez mais nas empresas e  proporcionando a realização de negócios. Esses são desafios da advocacia tanto para os advogados franceses quanto brasileiros”, ressaltou.

Para o presidente da Ordem dos advogados francesa, que tem 8 séculos e 24 mil inscritos ,  um desafio igualmente importante é o da formação contínua dos advogados, assim como o papel político que o presidente da Ordem de Paris desempenha de  ser sentinela das liberdades,  da ampla defesa e dos carentes que buscam justiça .

Em sua visita ao Brasil, Castelain teve sua atenção atraida pelo   tratamento dispensado aos advogados pelos juízes ;  pelo Quinto Constitucional, que permite acesso de advogados à magistratura de segundo grau e de tribunais superiores e pelo fato de que em algumas salas do júri o povo estar sentado acima do juiz. Para os  advogados brasileiros, chamou atenção o fato de o bâtonnier francês servir de juiz para advogados assalariados em questões trabalhistas envolvendo seus empregadores.

O presidente D’Urso ficou interessado no sistema  de conta única , utilizado pela Ordem francesa.  Ou seja, todo o dinheiro de  transações e decisões judiciais  vai para uma só conta bancária e a Ordem dos Advogados faz o controle, assegura o pagamento das partes e garante que esses recursos não são oriundos  de lavagem de dinheiro. A cada ano, essa conta recebe  cerca de 11 bilhões de euros.

George Niaradi, conselheiro e presidente da Comissão de Relações Internacionais da OAB SP, explicou que a parceria da Seccional Paulista com a Ordem francesa já tem três anos e promoveu dois encontros de juristas brasileiros e franceses, um em 2009 em São Paulo e outro, em 2010, em Paris. “ Nesse ano teremos o 3 Encontro Jurídico Franco-Brasileiro  da OAB , em São Paulo,  e teremos mais jovens advogados inscritos na Seccional Paulista indo para Paris para realizar cursos e estágios no Barreau de Paris, assim como aconteceu no ano passado, com a concessão de bolsas que tiveram apoio do Consulado francês e da Aliança francesa”. afirmou.

 

Participaram do encontro com o presidente do Barreau de Paris: Marcos da cota, vice-presidente da OAB SP, Clemencia Wolther, secretária-geral adjunta da OAB SP; Tallulah Carvalho, diretora adjunta da OAB SP; Horácio Bernardes Neto, conselheiro e presidente da Comissão de Sociedades;  Philippe Georgiades, Diretor de Relações Internacionais da Ordem dos Advogados de Paris; Laurent MARTINET, Ex-Secretário da Comissão Internacional da Ordem dos Advogados de Paris; Pierre Servan SCHREIBER, Conselheiro e Secretário da Comissão Internacional da Ordem dos Advogados de Paris; Monica Franco, designada pelo Conselho Federal, Christophe de-Beauvais, Adido de Cooperação do Consulado Geral da França; Maurice NAHORY, Diretor-Geral da Aliança Francesa;Luis Antonio Flora, Diretor Jurídico da Fecomércio; Philippe BOUTAUD-SANZ, Conselheiro da Câmara de Comércio França-Brasil; Jeanne Machado, Diretora Jurídica da Sanofi-Aventis.