D'URSO RECEBE MEDALHA DA ONU


08/06/2011

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D'Urso, foi agraciado com a Medalha Cinquentenário das Forças de Paz do Brasil, na última quarta-feira (1/6), na sede da entidade, entregue por Walter Melo de Vargas, presidente da Associação Brasileira das Forças Internacionais de Paz da ONU (Organizações das Nações Unidas) e por Norberto da Silva Gomes, cônsul da Associação Brasileira das Forças Internacionais de Paz das Nações Unidas e presidente da Comissão de Estudos sobre Perícias Forenses da OAB SP.

D'Urso agradeceu a homenagem e dedicou a medalha aos advogados paulistas. “Recebo essa medalha, essa distinção em nome dos 300 mil advogados de São Paulo.”

“A medalha destina-se a premiar e reverenciar aqueles que praticam ações meritórias, enaltecedoras em nome da pátria brasileira. Ela é oferecida em sinal de reconhecimento aos valores militares, espírito de civismo, preservação da memória dos serviços prestados à pátria e, principalmente, por ser a tradução em pessoa da cidadania nacional”, explicou Gomes.

O presidente lembrou que a Ordem sempre esteve à frente das batalhas travadas pela sociedade brasileira, lutando contra a tirania e contra a ditadura.

“É importante que os jovens brasileiros tenham a dimensão do que significa a Ordem para a história do Brasil. Se hoje temos um Estado Democrático de Direito, se hoje estamos na trincheira da defesa das garantias individuais à luz da nossa Constituição, é porque ao longo da nossa história, estivemos à frente da população, reagindo e enfrentando as iniquidades, a tirania e até a ditadura, liderando todos aqueles que tinham ideais de liberdade, de justiça e de paz”, afirmou.

D´Urso ressaltou também a inexistência de guerras no país, mas lembrou que o Brasil precisa de mais segurança para os cidadãos.

“Mas, a paz que não é a ausência de guerra. A paz que precisa haver no Brasil, especialmente nos grandes centros como São Paulo, é aquela que permite que possamos andar nas ruas sem sermos alvejados, sem sermos assaltados, sem sermos vítimas da violência urbana, que sem dúvida contraria esse ideal de paz”, assegurou.

O presidente finalizou comparando a atuação dos soldados das Forças de Paz do Brasil com a atuação dos advogados.

“A Força de Paz do Brasil já atuou em vários países e contribuiu para a paz mundial. Mas, onde houver um conflito, que não precisa ser bélico, mas basta ser belicoso. Onde houver um direito a ser defendido, ali estará o advogado com a missão de apaziguar, de encontrar um resultado que possa fazer com que o conflito dê lugar a paz. Portanto, eu digo, os advogados são agentes da paz. Esta é a nossa formação. Portanto, essa medalha deve ser colocada no peito de cada advogado como agentes da paz que somos”, finalizou o presidente.

As Forças de Paz do Brasil foram criadas a 22 de novembro de 1956 para integrar a Força Internacional de Emergência da ONU, no Egito.