ARTIGO: COMO LIDAR COM CRÍTICAS INJUSTAS


06/07/2011

Viviane Sampaio

Receber elogios é bem melhor do que ouvir críticas. Entretanto, há críticas que podem nos ajudar a crescer, melhorar ou nos corrigir. Mas o comum é nos depararmos em nosso dia-a-dia com críticas injustas ou incorretas que só servem para nos derrubar ou nos magoar. Portanto, há críticas construtivas e destrutivas. Como diferenciar cada tipo de crítica para poder aproveitar as boas críticas para nos desenvolver e não nos deixar abater com as críticas ruins que são verdadeiras bobagens?

Toda crítica deve passar por um filtro e um processo de classificação para avaliar quais são dignas de crédito. A seguir cito os 5 passos para identificar uma crítica que vale a pena considerar:

1º Passo: “Quem fez a crítica é um especialista no assunto?” Por exemplo, se o assunto for o motor do seu carro, que opinião você consideraria mais importante: a do seu contador ou do seu mecânico? Portanto, nem todas as opiniões podem ser avaliadas de forma idêntica. É importante considerar o conhecimento do crítico sobre o assunto em questão.

 

2º Passo: “Quantas pessoas fizeram a crítica?” Quem não questiona seus críticos costuma aceitar como definitivo um único comentário negativo. Mas nem sempre uma opinião isolada está bem fundamentada, correta e não tendenciosa. Por outro lado, no caso de muitas pessoas criticarem, há também de se pensar sobre a perspectiva de que não é porque todo mundo disse ou acredita em algo que isso seja uma verdade absoluta e irrefutável.  Portanto, nas duas situações a crítica precisa ser questionada com o intuito de evitar uma conclusão precipitada, injusta ou parcial.

 

3º Passo: “O pior crítico: Você!” Nosso crítico interno não só julga corretas todas as supostas críticas externas como acrescenta e inventa mais algumas. É o mais duro dos críticos.  Aceitar tudo o que o nosso crítico pessoal nos diz é tão equivocado quanto concordar com toda e qualquer crítica externa sem antes conferir se tal opinião foi emitida com conhecimento de causa. Questione-se!

 

4º Passo: “Qual é o objetivo da crítica?”  A crítica contribui de alguma forma para melhorar sua vida ou a si mesmo? Se positivo, essa crítica merece a sua atenção. Se negativo, descarte-a.

 

5º Passo: “O hobby de criticar” Existe pessoas nesse mundo que são inevitavelmente  insatisfeitas. Nada as agrada. Estas pessoas têm o hábito de fazer críticas severas. São incansáveis. Como lidar com um crítico desses? Não lide! Isso é impossível. Eles são implacáveis. A mente dessas pessoas vasculha o ambiente por crítica durante 24 horas ininterruptas. O melhor a fazer é se afastar ou, se não for possível,  deletar todos as críticas absurdas e insensatas.

Diante do exposto, vale salientar que as críticas injustas abalam a motivação de qualquer pessoa e que por isso é fundamental ponderar sobre as que ouvimos diariamente. Aproveite as críticas construtivas e rejeite as que não acrescentam nada à sua vida!

 Viviane Sampaio é psicóloga e coach. Autora do Blog www.coachingvs.blogspot.com

Referência Bibliográfica: Freeman, A e Dewolf, R. As 10 bobagens mais comuns que as pessoas inteligentes cometem e técnicas eficazes para evitá-las. Guarda-Chuva: São Paulo, 2006.