COMISSÃO DA MULHER ADVOGADA DA OAB SP É CONTRA PROPAGANDA DE LINGERIE


30/09/2011

A Comissão da Mulher Advogada da OAB SP manifestou apoio à Secretaria de Políticas para as Mulheres do governo federal, que pediu ao Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) a suspensão da propaganda da marca de lingerie Hope em que a modelo Gisele Bündchen “ensina” às mulheres como dar más notícias ao marido ou namorado, por reforçar o “estereótipo da mulher como objeto sexual”.

Na campanha publicitária televisiva “Hope ensina”, a modelo aparece, primeiro, vestida normalmente e conta que bateu o carro ou estourou o cartão de crédito. A estratégia é considerada “errada” pela propaganda. Em seguida, Bündchen reconta a história, mas vestindo apenas lingerie, no que seria a fórmula “correta” de contar algo ruim, mostrando o “charme” da mulher brasileira.
 
“Esse tipo de campanha publicitária não se encaixa mais na sociedade em que vivemos hoje, por se tratar de um simples e explícito desrespeito às conquistas femininas contra a discriminação por gênero, pensamentos machistas e o tratamento da mulher como objeto sexual à disposição dos homens. Conquistas atingidas após séculos de preconceitos e abusos”, disse a presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP, Fabiola Marques.

Para o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D’Urso, “a Comissão da Mulher Advogada da OABSP tem razão em seu protesto, pois não se pode admitir que em nossa sociedade ainda se verifiquem manifestações discriminatórias contra a mulher, humilhando-a e reduzindo-a a um objeto sexual”.