D'URSO RECEBE MEDALHA MÉRITO CÍVICO AFRO-BRASILEIRO


30/05/2012

O presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D'Urso, recebeu na última segunda-feira (28/5) ,no Auditório Simón Bolívar do Memorial da América Latina, a Medalha Mérito Cívico Afro-Brasileiro 2012, promovida pela ONG Afrobras e pela Faculdade Zumbi dos Palmares.

D'Urso afirmou que recebia a comenda em nome dos 300 mil advogados paulistas e  que a OAB SP  - até por atribuição constitucional – está empenhada na luta contra todas as formas de intolerância, especialmente aquela que tem motivação racial. Lembrou que recentemente a OAB SP e a Secretaria de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania firmaram convênio para recepcionar todas denúncias de racismo no local onde aconteceram, sem que a vítima precise se deslocar até a capital. 

A medalha tem por objetivo agraciar pessoas físicas e jurídicas que contribuíram direta ou indiretamente com os valores do respeito à diferença, tolerância e igualdade de oportunidades, contribuindo para a elevação moral, social e inserção socioeconômica, cultural e educacional dos negros brasileiros.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro  Carlos Ayres Britto,  que também foi homemageado, leu poema de sua autoria e  abordou a  histórica e unânime  decisão do Supremo  de que  as cotas raciais são constitucionais, garantindo políticas afirmativas que asseguram reserva de vagas para afrodescendentes e índios em instituições de ensino superior no Brasil .

Além do presidente D'Urso e do presidente do STF,  foram homenageados: o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Ivan Sartori; o governador Geraldo Alckmin: a desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia, Luislinda Valois Santos; o presidente da Câmara Municipal de São Paulo, José Police Neto; o diretor de Comunicação Social da Mercedez Benz, Diniz Yamamuro; a ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros; o ex-governador e secretário dos Negócios Jurídicos do Município de São Paulo e Cláudio Lembo; o embaixador da República de Angola, Nelson Manuel Cosme.