MARCOS DA COSTA ABRE ENCONTRO ESTADUAL DAS MULHERES ADVOGADAS


03/09/2012

O presidente em exercício da OAB SP, Marcos da Costa, fez a abertura do VIII Encontro Estadual da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP, que reuniu quase mil participantes, da capital e várias cidades do interior. O evento contou com participação da presidente da Comissão da Mulher Advogada, Fabiola Marques; da secretária de Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, Eloísa de Sousa Arruda; da diretora-adjunta da OAB SP, Tallulah Kobayashi de Andrade Carvalho; da delegada Rosmary Corrêa ;do juiz de Direito José Henrique Torres ; de Alecksander Mendes Zakimi, presidente da Comissão do Acadêmico de Direito; de Beth Russo, representante da OAB SP no Conselho Estadual da Condição Feminina e da secretária executiva da Comissão da Mulher Advogada, Clarice D´Urso, entre outros participantes e expositores, no último sábado (1/9), no Teatro Gazeta.

 

O presidente  Marcos da Costa lembrou que o Brasil ocupa hoje a 107ª posição em número de mulheres integrantes no parlamento. “Na América Latina, o Brasil só fica à frente do Haiti. O que evidencia que nós temos muito a conquistar, mas na área jurídica, apesar de não ser ideal, é profundamente diferente, informou.

 

Ele ressaltou que no Poder Judiciário brasileiro, as mulheres ocupam 40% dos assentos da Magistratura. Nós temos mulheres ocupando cargos importantes nas principais cortes do nosso país  e agora em setembro comemoramos os quatro cargos principais do TRT da 2ª Região são ocupados por mulheres. Desde 2006, durante a nossa gestão, a mulher passou a ser maioria nas inscrições da Seccional paulista da Ordem. Portanto, essa força da mulher nós dá segurança que vamos ter uma advocacia cada vez mais forte e feminina, finalizou.

 

A secretária de Justiça falou sobre a parceria entre a OAB SP e o governo do Estado e ressaltou a importância de eventos como esse, promovido pela Comissão da Mulher Advogada: Esse evento é uma manifestação em prol dos Direitos Humanos porque estamos falando na proteção da mulher, na proteção da parcela mais vulnerável da população brasileira. A estatística mostra que as pessoas mais vulneráveis ao assédio sexual e a exploração sexual são as mulheres, principalmente as meninas negras”.

 

A presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP, Fabíola Marques destacou a falta de espaço para as mulheres na política. Ainda não temos uma lei que obrigue a participação efetiva das mulheres na política. Precisamos ocupar espaços. Nós sabemos a necessidade de informar os direitos para as mulheres, o que as mulheres realmente sofrem e como a gente pode vencer essa discriminação, que ainda existe. O Brasil caiu do 82º da igualdade de gêneros, passando para o 114º “, afirmou Fabíola.

 

Ela lembrou que o Conselho Federal da OAB não tem Comissão da Mulher Advogada. Precisamos reverter esse quadro participando efetivamente da vida política do país e da nossa identidade, disse. Ao longo do Congresso, foram debatidos inúmeros temas, como tráfico de mulheres, direitos trabalhistas da mulher na atualidade, a efetivação da lei Maria da Penha e a nova legislação sobre o aborto.