Novas Desembargadoras pelo Quinto Constitucional tomam posse no TJ-SP


05/11/2013

“Tenho plena convicção de que o ingresso dessas duas novas integrantes nos quadros da mais alta Corte do Estado contribuirá para oxigenar e dar pluralidade às decisões proferidas por esse Egrégio Tribunal”, disse o Presidente da OAB SP durante discurso na sessão solene de posse das Desembargadoras Mary Grün e Mônica de Almeida Magalhães Serrano no Tribunal de Justiça de São Paulo, nesta segunda-feira (04/11), às 17 horas, no Salão do Júri, do Palácio da Justiça.

Além de chamar a atenção para a contribuição que os membros oriundos do Quinto Constitucional – classe da Advocacia e do Ministério Público - tem propiciado à Magistratura, como Mônica Serrano e Mary Grün; Marcos da Costa também destacou a presença das mulheres no Judiciário: “Verificamos uma crescente presença feminina nas carreiras jurídicas, o que nunca teria sido possível sem a atuação de mulheres que foram verdadeiras desbravadoras e continuam contribuindo para engrandecer todas as áreas do Judiciário e a buscar um patamar mais igualitário com os homens”. Costa citou, ainda, os dados estatísticos do levantamento “Justiça em Números”, elaborado pelo CNJ, para expressar a dimensão gigantesca da Justiça Bandeirante e suas demandas.

As duas novas desembargadoras foram saudadas pelo desembargador Roberto Nussinkis MacCracken, também egresso do Quinto Constitucional, que discorreu sobre a biografia das novas integrantes do TJ-SP, as quais classificou de “excelentes profissionais, plenamente habilitadas e preparadas para serem magistradas”. MacCracken também enumerou citações de ministros do Supremo Tribunal Federal sobre a importância do Quinto Constitucional na composição das Cortes brasileiras.

Agradecimento e compromisso

Primeira a fazer uso da palavra, a desembargadora Mônica Serrano, agradeceu aos familiares, fez uma homenagem à advocacia pública, principalmente à Procuradoria Geral do Estado, da qual é egressa, e à OAB SP pela confiança nela depositada. “A nomeação pelo governador Geraldo Alckmin de duas desembargadoras consolida importante passo na igualdade de gênero”, afirmou. Também se comprometeu com sua novas atribuições na Magistratura e citou o advogado pacifista Mahatma Gandhi: “Você nunca sabe que resultados virão da sua ação. Mas se você não fizer nada, não existirão resultados”.

Mary Grün ressaltou ser uma enorme honra fazer parte do Tribunal de Justiça, que classificou de grandioso,  e que tinha uma palavra de gratidão e compromisso a expressar em seu discurso. Agradeceu a todos que participaram de sua vida profissional, aos advogados que dividiram a banca advocatícia, o amor ao direito e a boa prática profissional e aos membros do Tribunal de Justiça, pelo voto de confiança. Afirmou estar solene e publicamente comprometida com a nova missão de julgar.

 

Encerrando a cerimônia, o Presidente do TJ-SP, desembargador Ivan Sartori, afirmou que aquele era um momento de alegria e emoção e que as duas novas desembargadoras eram advogados militantes e traziam sua experiência para o Tribunal. Sartori elogiou a qualidade dos integrantes das listas sêxtuplas enviadas pela OAB SP. “Agora temos duas excelentes profissionais, que vieram da militância da advocacia. Isso nos enche de alegria, duas grandes mulheres, duas grandes profissionais para integrar o Tribunal de Justiça”, finalizou.

Toda a Diretoria da OAB SP esteve presente à posse: Ivette Senise Ferreira, Vice-Presidente; Caio Augusto Silva dos Santos, Secretário-Geral; Antonio Ruiz Filho, Secretário-Geral Adjunto; Carlos Roberto Fornes Mateucci, Diretor-Tesoureiro; Tallulah Kobayashi de Andrade Carvalho, Diretora Adjunta da Mulher Advogada; o Presidente da CAASP, Fábio Romeu Canton Filho, além de Conselheiros e Presidentes de comissões. Também foram prestigiar as posses: o Presidente do IASP, José Horácio Ribeiro; o Presidente da AASP, Sérgio Rosenthal; o Vice-Presidente do TJ-SP, José Gaspar Franceschini, o Procurador-Geral do Estado, Elival da Silva Ramos; o Secretário Adjunto da Segurança Pública, Antonio Carlos da Ponte; a desembargadora Maria Helena Zucchi, representando o Diretor da Escola Superior de Magistratura e o poeta Paulo Bonfim, entre outras autoridades.